As diferenças entre uma bússola magnética e um astrolábio

••• Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Tanto a bússola quanto o astrolábio possuem uma longa história, entretanto, eles funcionam de maneiras bastante diferentes e oferecem diferentes tipos de informação. Além disso, o astrolábio dos marinheiros é um outro dispositivo, diferente tanto da bússola quanto do astrolábio tradicional. A bússola é um guia direcional para navegação, o astrolábio dos marinheiros é um guia posicional para navegação e o astrolábio convencional é um guia temporal, combinando as funções de um relógio e um calendário.

História da bússola

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Os chineses desenvolveram a bússola durante a dinastia Han, começando com o desenvolvimento de um modelo rudimentar, em formato de colher, feita com magnetita. Na dinastia T'ang, eles já haviam inventado um método para magnetizar agulhas de ferro, levando ao desenvolvimento de bússolas secas e molhadas. Durante a dinastia Sung, 1000 d.C., marinheiros chineses já usavam a bússola para navegação oceânica. Ela foi introduzida na Europa durante o século 12, tanto pela rota da seda quanto pelas rotas de comércio do Oriente Médio.

Como uma bússola funciona

A Terra é como um ímã gigante, cercada por um campo magnético. Esse campo possui dois pólos magnéticos localizados perto dos pólos geográficos norte e sul. Ele faz com que um ponteiro ou agulha livremente suspensa e magnetizada oscile e se alinhe com os pólos, indicando visualmente a componente horizontal do campo magnético da Terra. Isso permite ao navegador manobrar sua embarcação em um curso escolhido ou determinar sua posição tomando orientações visíveis.

História do astrolábio

Photos.com/Photos.com/Getty Images

Por volta de 150 d.C., Cláudio Ptolomeu escreveu extensivamente sobre o conceito de uma projeção estereográfica, uma função geométrica que projeta uma esfera em um plano, e Teão de Alexandria escreveu uma dissertação sobre a ferramenta por volta de 390 d.C.. Os historiadores acreditam que Sinésio de Cirene construiu o primeiro dispositivo que era, indiscutivelmente, uma forma de astrolábio, entre 378 d.C. e 430 d.C.. Por volta do ano 800, os astrolábios já haviam se tornado altamente desenvolvidos no mundo islâmico e foram introduzidos na Europa no início dos anos 1100. Ele tornou-se o instrumento astronômico mais popular até por volta de 1650, quando foi substituído por equipamentos mais especializados e precisos.

Como um astrolábio funciona

Os astrolábios são computadores astronômicos utilizados para resolverem problemas relacionados ao tempo e à posição de corpos celestes. Eles possuem dois componentes: fixo e giratório. As partes fixas representam escalas de tempo e a projeção estereográfica do céu. As partes giratórias simulam a rotação diária do céu. Os astrolábios são usados para determinar a hora do dia ou da noite, a hora de um evento celestial, como o nascer ou o por do sol, e as posições celestiais a qualquer hora específica.

O astrolábio dos marinheiros

Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images

Os navegadores antigos não possuíam meios de determinar sua posição longitudinal; entretanto, medindo a altitude do sol do meio dia ou de uma estrela de inclinação conhecida, eles podiam determinar a latitude. Mantendo essa latitude e viajando para o leste ou oeste, um navio podia chegar em um ponto predeterminado. Eles chamavam o dispositivo que usavam para realizar essa tarefa de "astrolábio dos marinheiros", composto de um anel com marcas graduadas. No sentido tradicional, os astrolábios dos marinheiros não são como os astrolábios tradicionais.

Mais recentes

×