Por que as chinesas atavam seus pés?

Escrito por jason blankenship | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Por que as chinesas atavam seus pés?
A amarração dos pés era um processo doloroso (China Photos/Getty Images News/Getty Images)

Muitas culturas ao longo da história do mundo mantiveram práticas inexplicáveis para o mundo moderno ou para outras culturas. Algumas são apenas "esquisitices" ou pequenas diferenças, mas em certos casos, deixam de ser peculiaridades para se tornarem atos perturbadores. Uma das práticas culturais mais incômodas aos nossos olhos é a amarração dos pés, que acontecia na China. Ela é incômoda para o mundo moderno, pois envolvia o ato de atrofiar partes do corpo de crianças e intencionalmente causar dor em pessoas de todo um gênero.

Outras pessoas estão lendo

O que era

A prática chinesa de amarrar os pés reduzia o tamanho dos pés para que eles medissem entre 7 cm e 10 cm. Em razão da dificuldade de executar esse procedimento em mulheres mais velhas, o processo começava ainda na infância, geralmente quando a menina tinha entre 4 e 7 anos de idade. A mãe começava o processo amarrando uma bandagem de 10 m de comprimento por 5 cm de largura ao redor do pé, de forma que os artelhos se curvassem em direção à sola do pé. Forçar a aproximação entre o calcanhar e o dedão tornava o arco do pé mais pronunciado. A bandagem era apertada diariamente até que se chegasse ao tamanho desejado, o que levava cerca de dois anos.

Origens lendárias

Não se sabe a data exata do início desta tradição nem o que a motivou. Estudiosos acreditam que a prática teve início no século 7, com a Dinastia T'ang. Diferentes lendas oferecem diferentes respostas para a pergunta de como essa tradição começou. Há uma lenda que conta que uma das concubinas do imperador tinha pés pequenos e graciosos e então ter pés pequenos entrou na moda. Outra lenda afirma que o imperador ordenou que uma concubina atasse seus pés porque ele achava bonito ver pés amarrados com seda. Conforme uma terceira lenda, a esposa do imperador tinha os pés tortos e seu esposo ordenou que todas as mulheres amarrassem seus pés, para que se parecessem com os dela, criando, assim, um padrão de beleza.

Motivos para a amarração de pés nos séculos seguintes

A tradição de amarrar os pés era, inicialmente, restrita à Corte Imperial. Todavia, a Corte servia como modelo do que era apropriado no país e com o passar dos séculos essa prática se espalhou. Uma das possíveis explicações para isso é que a prática evitava que mulheres fugissem de casa ou escapassem de uma surra. Outro motivo era de cunho erótico. Alguns homens achavam o pé amarrado erótico e sexualmente excitante. Além disso, dizia-se que amarrar os pés tornava o sexo melhor. Por fim, os pés amarrados eram um símbolo de status na China. Mães que procuravam por uma esposa para seus filhos insistiam que apenas aquelas com os pés atados eram uma boa combinação para seu rebento. Assim, as mulheres amarravam os pés de suas filhas, a fim de garantir um bom casamento para elas.

O fim da amarração de pés

A Dinastia Manchu tentou banir essa prática quando alcançou o poder, em 1644, mas falhou. Os Manchu não deram continuidade à tradição, ao contrário do resto dos chineses. No final do século 19, começaram a surgir grupos que combatiam essa tradição. Apesar da proibição governamental de 1912, muitas famílias continuaram a amarrar os pés das meninas. Hoje, a amarração de pés é uma relíquia do passado chinês. Todavia, um passado não tão distante assim, pois em 2011 muitas mulheres que tiveram os pés atrofiados durante a infância ainda estavam vivas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível