Como usar um compressor ou limiter

Escrito por ehow contributor | Traduzido por pedro santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como usar um compressor ou limiter
Use um compressor ou limiter

Algumas das formas mais amadas de processar áudio também podem ser as mais potencialmente nocivas. Nas mãos de um artista, um compressor pode ser usado para moldar uma bela escultura sônica, mas, nas mãos de um novato, pode arruinar completamente a música.

A seguir, uma introdução básica da operação de um compressor ou limiter.

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Sistema de gravação e mixagem
  • Plug-in compressor de hardware ou software

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    É importante compreender primeiro os controles usados no design:

    1) limite; 2) ataque; 3) release (soltar sinal); 4) taxa de compressão; 5) ganho de compensação.

  2. 2

    Limite (às vezes chamado de teto) determina o ponto em que a redução automática de volume começa a funcionar. Qualquer coisa abaixo desse volume não irá resultar em nenhuma compressão. Quando o sinal de entrada vai acima desse nível, o compressor reduz o volume automaticamente para impedir que o sinal fique mais alto.

  3. 3

    O tempo de ataque determina a velocidade com que o volume é reduzido depois que o sinal de entrada excede o limite. Se for muito lento, uma explosão curta de música alta indesejada irá escapar. Quando usar um compressor como ferramenta para prevenir sobrecarga, precisará de um tempo de ataque muito rápido. Mas, quando usado em um contrabaixo elétrico, por exemplo, para obter mais punch, de 20 a 50 milissegundos, será eficiente, porque permite que o ataque penetre antes que o volume seja reduzido. Por isso cada nota tem uma “definição” extra sem que a duração inteira da nota seja longa demais. Ela reage à transição inicial e depois diminui.

  4. 4

    O tempo de release determina a rapidez com que o volume volta à sua posição original quando o sinal de entrada não está mais acima do limite. Se for rápido demais, ouvirá o volume enquanto ele sobe e desce. Esse som é chamado “bombada” ou “respiração”. Ele é muitas vezes desejável na criação de efeitos especiais, sintetizadores, bateria e outros instrumentos. A regulagem adequada depende se pretende usar o compressor como uma ferramenta dinâmica ou como um efeito para criar um som único ou mesmo acrescentar mais sustentação a um instrumento. Se preferir mais transparência para o compressor, regule o tempo de release relativamente longo – um segundo ou mais. Se quiser um som agressivo, use um tempo mais curto de release.

  5. 5

    A taxa de compressão determina o quanto o nível é reduzido em relação a quanto além do limite o sinal ocorre. Uma taxa de 1:1 não faz nada. Uma taxa de 2:1 significa que, se o sinal de entrada aumentar para 2 dB acima do limite, o compressor irá reduzir o nível em apenas 1 dB, então agora o sinal de saída será 1 dB mais alto. Uma taxa de 10:1 significa que o sinal deve estar 10 dB acima do limite para que o sinal de saída aumente em 1 decibel. Quando um compressor é usado em uma taxa de, por exemplo, 5:1 ou mais – é considerado um limiter. Na verdade, a taxa de compressão é a única diferença entre um compressor e um limiter. Frequentemente nos referimos a limiters como compressores. Um dos mais renomados é o Urei/Universal Audio 1176 Limiting Amplifier. Em taxas mais altas, funciona bem para segurar o vocal no lugar. É comum utilizá-lo na regulagem 8:1 ou até mesmo 12:1.

  6. 6

    O “ganho de compensação” irá compensar a perda de volume relativa em quanto foi reduzido pelo próprio compressor e nivelar novamente a um nível adequado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível