Como construir mobília externa

Escrito por matt kailey | Traduzido por elia regina previato
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail

Sentado confortavelmente no pátio

Como construir mobília externa
Mobiliário externo caseiro não precisa ser rústico. Um pouco de trabalho pode fazer um projeto caseiro parecer artigo de carpintaria profissional (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

"Fiz um banco que adorei, com apenas seis tábuas. Era grande, forte e muito bonito. Eu o conservei na varanda por anos."

— Mark McKelvey, fabricante de móveis e presidente da Maine Furniture

De churrascos com amigos em casa a deitar ao sol para relaxar, o verão nos oferece a oportunidade perfeita para exibir em que você vem trabalhando duro. E não estamos falando do seu jardim ou do seu novo deck, mas do mobiliário externo. Em uma visita a uma loja local você poderá trazer mesas e cadeiras para ambientes ao ar livre, mas não há nada mais gratificante do que criar suas próprias peças. Com as ferramentas e os materiais corretos, em breve você estará sentado confortavelmente, como faz o construtor de móveis Mark McKelvey, presidente da organização sem fins lucrativos Maine Furniture, que se dedica a promover seu artesanato de qualidade e a preservar a rica história da madeira estadual. Dá trabalho, adverte McKelvey, portanto não planeje começar no sábado e terminar a tempo para o churrasco de domingo. O trabalho, no entanto, vale a pena, pela recompensa de exibir e utilizar sua própria criação.

Por que construir ao invés de comprar?

É muito mais fácil visitar uma loja do que ficar na garagem ou na oficina nos fins de semana que antecedem ao verão. Por que não basta pegar seu cartão de crédito e usá-lo?

"Se você for o proprietário de uma loja, é muito mais barato construir", disse McKelvey, "porque você estará pagando apenas pelo material, basicamente. Além disso, poderá alterar o projeto para atender às suas necessidades e preferências".

O escritor John Wilder, antigo empreiteiro, concorda. "Você pode adicionar a sua própria criatividade ao produto", afirma, "e torná-lo uma exclusidade sua".

Você não precisa se contentar com a mesmice dos modelos que vê em outros quintais. Em vez disso, crie um estilo que complemente o pátio, o deck ou o jardim, e que reflita beleza, elegância e individualidade.

"Na Maine Furniture, vemos um monte de conjuntos de mesa e cadeira ou de bancos", disse McKelvey. "Os estilos variam de contemporâneos, com desenhos exclusivos de metal e madeira, a estilos de jardim inglês, com bancos e grandes mesas feitas de uma única prancha de madeira."

A melhor parte de construir você mesmo é que tudo depende somente de você.

O material faz a diferença

Mogno, teca e cedro estão entre as melhores madeiras para mobiliário de exterior, diz McKelvey, observando que as resinas naturais dessas madeiras são resistentes a água. Ele adverte, no entanto, que algumas dessas madeiras densas requerem fixadores de aço inoxidável, pois contêm propriedades que vão corroer parafusos e pregos.

"O pinheiro, por outro lado, é uma madeira mais porosa, menos densa e mais susceptível aos elementos da natureza", diz McKelvey. "Ele funciona bem e é mais barato, mas exige muito mais manutenção, para manter o acabamento a longo prazo. Na minha experiência, ela não possui durabilidade muito longa. "

Wilder recomenda ipê, uma madeira sul-americana muitas vezes usada para fazer decks ao ar livre.

Ipê é comumente conhecido como pau-ferro, porque se desgasta como ferro, disse Wilder. "Ele foi utilizado no calçadão da praia em Atlantic City (Nova Jersey) há mais de 30 anos e ainda está forte", disse ele.

Se você possuir algumas placas de reposição de ipê ocupando espaço ou qualquer placa resistente, poderá considerar o uso delas em um design de mobiliário, como McKelvey fez para criar uma de suas peças favoritas.

"Eu fiz um banco que eu amei com apenas seis placas", disse ele. "As placas haviam sido deixadas de lado na loja por um bom tempo e eu estava cansado de contorná-las quando andava por lá".

"Eu fiz um desenho incorporando essas peças e as coloquei juntas, utilizando um estilo popular de artes e ofícios de marcenaria. Era um banco grande, robusto e bacana, aquele que tive na minha varanda por anos. "

Com um pouco de criatividade e planejamento, você também pode construir móveis úteis e agradáveis e eles podem durar tanto quanto o calçadão de Atlantic City.

Manutenção também é importante

A umidade é o inimigo da madeira, dos acabamentos de marcenaria, e dos adesivos, adverte McKelvey. Ele e Wilder recomendam verniz como acabamento para qualquer mobiliário de exterior.

Verniz marinho, também conhecido como verniz Spar, é tradicionalmente utilizado na construção e no reparo de barcos. Sua alta concentração de inibidores ultravioletas e o acabamento resistente protegem a madeira contra sol e umidade, que costumam causar a degradação do verniz regular ao ar livre, disse Wilder.

Outra opção é um revestimento a óleo, como o óleo de teca, que exige mais atenção e manutenção.

"Se a peça recebeu acabamento em óleo, pode exigir novas aplicações várias vezes por ano", disse McKelvey, "ao contrário de verniz ou epóxi, que pode ficar dois ou três anos sem precisar de retoque."

Tradição atemporal

McKelvey dirigiu sua paixão para uma campanha para voltar a ter aulas sobre madeira nas escolas Maine depois do incêndio em sua loja de madeira, que destruiu todo o seu equipamento e seu amado banco, em que ele havia levado para ser restaurado no estabelecimento.

"A primeira tarefa é chamar a atenção para os marceneiros de classe mundial aqui no Maine", disse ele. Ele está fazendo isso por meio de sua organização sem fins lucrativos, a Maine Furniture. "Conforme a organização crescer, vamos criar bolsas de estudo e programas de carpintaria disponíveis para as escolas utilizarem, que não terão custo e oferecerão mais oportunidades a mais alunos".

A carpintaria continua a ser uma boa maneira de ganhar a vida, diz McKelvey, porque muitas pessoas ainda querem produtos de qualidade construídos localmente, que vão durar por décadas. Mas até mesmo os aficionados podem aprender o ofício e se beneficiar dele. Ele recomenda a revistas "Homebuilding Fine" e "Fine Woodworking", bem como os muitos vídeos de carpintaria disponíveis na internet.

A conclusão é que construir ou mesmo comprar móveis artesanais de qualidade, ao invés de substituir mobiliário barato a cada ano, é mais econômico, a longo prazo, enquanto acrescenta classe e personalidade ao pátio, deck ou alpendre, por muitos anos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível