Os efeitos da nicotina nos vasos sanguíneos

Escrito por kimberley jace | Traduzido por rosangela gandini
Os  efeitos da nicotina nos vasos sanguíneos

Apesar de entrar apenas um miligrama de nicotina no corpo, seu efeito é devastador

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

A nicotina, um alcalóide naturalmente encontrado nas folhas do tabaco, mais comumente entra no corpo humano como fumaça de cigarro. Cada cigarro contém de 10 a 20 mg de nicotina, mas o corpo absorve apenas cerca de um miligrama através da fumaça. Entretanto, essa pequena quantidade tem um efeito violento nos vasos sanguíneos humanos.

Outras pessoas estão lendo

Efeitos imediatos

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Minutos depois de inalar a fumaça do tabaco, a nicotina começa a mudar a química do corpo. Os hormônios, incluindo a adrenalina, inundam a corrente sanguínea. A adrenalina estimula a reposta de luta ou fuga do corpo, responsável pela elevação da pressão sanguínea, aumentando o batimento cardíaco e acelerando a respiração. A nicotina eleva a pressão sanguínea fazendo com que as paredes do vaso sanguíneo se comprimam.

O mecanismo

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Retraindo as paredes do vaso sanguíneo para elevar a pressão, a nicotina também reduz a quantidade de sangue que passa pelas veias. A insuficiência de circulação significa que menos sangue oxigenado pode alcançar cada parte do corpo, o que pode disparar uma vasta gama de problemas de saúde. Em alguns casos, a nicotina foi comprovada como estimuladora do crescimento de novos vasos sanguíneos. Essa pode ser a resposta do corpo para tentar restaurar a circulação. Porém esse novo abastecimento de sangue leva a problemas a longo prazo, discutidos abaixo.

Perigos imediatos

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Os vasos sanguíneos nos quais as placas arteriais já limitam o fluxo sanguíneo são especialmente vulneráveis aos efeitos da nicotina. O estreitamento adicional causado por ela pode ser o suficiente para causar doenças cardíacas. A nicotina também limita a circulação nos vasos sanguíneos do cérebro, tornando-os mais suscetíveis a coágulos ou hemorragias, o que pode levar a um acidente vascular cerebral. A nicotina aumenta o estresse em áreas enfraquecidas nas paredes dos vasos sanguíneos, o que pode então inchá-los ou rompê-los, causando aneurismas. A circulação reduzida também pode levar à disfunção erétil.

Perigos a longo prazo

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

A irritação crônica da nicotina pode tornar os vasos sanguíneos mais suscetíveis a placas com o tempo, uma condição conhecida como arteriosclerose ou endurecimento das artérias. Estimulando novos vasos a crescer, especialmente em áreas de inflamação como depósitos de placas, a nicotina pode acelerar o crescimento de tumores malignos. A fumaça do cigarro foi comprovada como agravadora do câncer de pulmão e dos seios. Uma razão para isso são os efeitos da nicotina nos vasos sanguíneos.

Perigos na gravidez

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

A nicotina causa perigos específicos em mulheres grávidas. O sangue da mãe carrega oxigênio e nutrientes para o bebê, e leva os resíduos físicos do feto. Os efeitos constritivos da nicotina nos vasos sanguíneos retarda ambos os processos. Mães fumantes têm um risco maior de aborto. Se a gravidez continua, elas são mais suscetíveis a ter o descolamento da placenta prematuramente, uma condição potencialmente fatal para o bebê. O risco de descolamento da placenta aumenta em 20% para cada meio pacote de cigarro diário. Gravidezes bem sucedidas de mães fumantes são muito mais prováveis de gerar bebês com baixo peso ao nascer, podendo sofrer uma série de problemas médicos. Crianças nascidas de mães fumantes durante a gravidez têm um risco maior de desenvolver problemas mentais e físicos e padecer da síndrome da morte súbita e hiperatividade.

Recuperação

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

As pesquisas têm mostrado que a circulação de um indivíduo começa a melhorar dentro de duas semanas após parar de fumar.Os vasos sanguíneos recuperam a maior parte do funcionamento normal dentro de três meses.

Não deixe de ver

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível

Direitos autorais © 1999-2014 Demand Media, Inc.

O uso deste site constitui plena aceitação dos Termos de Uso e Política de privacidade de eHow. Ad Choices pt-BR

Demand Media