Mais
×

Estágios do ciclo de vida de uma ervilha

Atualizado em 01 maio, 2017

Ervilhas são plantas anuais, o que significa que elas completam seus ciclos de vida, da germinação à formação de novas sementes, dentro de um ano. Elas são parte da família dos legumes ou cientificamente falando, as leguminosas. Ervilhas são fáceis de cultivar e, normalmente, usadas em salas de aula para ensinar às crianças sobre biologia das plantas.

O ovário da ervilha se torna um casulo, envolvendo as sementes (sweet pea seed pod image by Alison Bowden from Fotolia.com)

Germinação

Uma ervilha começa como uma semente. As sementes precisam de água, calor e serem plantadas em um bom local para poderem germinar. Assim que essas necessidades forem cumpridas, a casca externa da semente amolece e uma pequena raiz começa a crescer para baixo. Esta raiz irá começar a retirar nutrientes do solo para ajudar a plântula a crescer.

Ao mesmo tempo, uma pequena porção começa a crescer para cima. Assim que a plântula alcança a superfície do solo, suas pequenas folhas se desdobram e começam o processo de fotossíntese. As folhas e os caules contêm clorofila, o que converte a luz do sol e dióxido da carbono em açúcar, o que a ervilha irá armazenar ou usar como alimento.

Polinização

A ervilha continua a crescer e, como ela é uma planta trepadeira, ela projeta longas gavinhas que se expandem e escalam cercas, postes ou até plantas mais altas. Enquanto isso, a raiz também cresce na mesma proporção no subsolo, retirando nitrogênio do solo através de nódulos irregulares ao longo da superfície da raiz.

As flores desenvolvem a passam a conter órgãos reprodutivos tanto masculino quanto femininos. Os órgãos masculinos, chamados de estames, possuem pólen nas extremidades grudentas, chamadas de anteras. Os órgãos femininos, chamados de estiletes, contêm os ovários, onde as futuras sementes irão crescer e o estigma, a extremidade grudenta onde o pólen é depositado.

Embora as ervilhas sejam autopolinizadoras, elas produzem flores aromáticas brancas e roxas para atrair abelhas e outros insetos.

Fertilização

Assim que a ervilha tiver sido polinizada, o processo de fertilização começa. Os grãos de pólen viajam pelo tubo interno do estilete até o ovário. Então esses grãos fertilizam os óvulos, que se tornarão as sementes.

As flores murcham e caem, e os ovários ficam inchados, providenciando uma cobertura protetora cobrindo as sementes futuras. Nas ervilhas, esta cobertura se alonga, lembrando um tubo longo, quase circular. Quando as sementes estão maduras, elas podem ser sentidas e vistas através das paredes externas.

Dispersão de sementes

As ervilhas cultivadas para produção agrícola são, normalmente, colhidas antes das vagens secarem. As ervilhas que nós comemos são sementes imaturas. Essas vagens deixadas nas vinhas irão eventualmente secar e abrir, liberando as sementes igualmente secas no chão. A planta original seca e morre. As novas sementes são, geralmente, jogadas longe o suficiente da planta-mãe para garantir uma boa dispersão. Assim que as condições estiverem corretas, as novas sementes irão germinar e o ciclo começará de novo.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article