Como funciona o arco de corte de plasma

Escrito por eric dontigney | Traduzido por william texeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como funciona o arco de corte de plasma
Cortadores de arco de plasma são usados para cortar metais (Digital Vision./Digital Vision/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

História

A soldagem de arco de plasma foi originalmente desenvolvida como um meio de soldar materiais de aviões durante a Segunda Guerra Mundial. À medida que a tecnologia foi melhorando, foi descoberto que o arco elétrico combinado com plasma de alta pressão (gás ionizado), poderia ser utilizado para cortar metal, além de soldar ele. O corte de arco de plasma é amplamente visto como uma alternativa aos métodos de corte de oxicorte. Os métodos de oxicorte usam a oxidação para cortar o metal, mas muitos metais, incluindo aço inoxidável, alumínio e ligas não oxidam ou oxidam mal. A solda de arco de plasma não se baseia na oxidação e é muitas vezes usada para cortar metais não oxidantes.

Fundamentos

A maioria dos sistemas de corte de arco de plasma segue um design e método semelhante ao seguinte. No núcleo do sistema está um eletrodo de tungstênio. Uma câmara irá cercar o eletrodo e ser preenchida com gás ou plasma pressurizado. Os gases inertes (árgon e nitrogênio, por exemplo) são tipicamente usados para criar o plasma, mas existem sistemas que foram desenvolvidos, que usam ar regular. Tais sistemas exigem o uso de eletrodos caros feitos de háfnio ou zircônio, os quais têm detentores de cobre. Muitos sistemas usam esfriamento por água ao redor da câmara de plasma para manter a unidade de bico resfriada, geralmente um bocal de cobre com um pequeno furo que recobre a câmara de eletrodo de plasma. Sistemas alternativos fazem uso de sistemas de gás de dupla injeção ou injeção de água para criar melhores cortes através da constrição de plasma. Sistemas de resguardo aquático têm sido usados para diminuir os níveis de ruído e fumos gerados durante o processo.

Corte

Para cortar utilizando sistemas de arco de plasma é necessário que um arco seja criado entre a peça de trabalho e o bocal. Embora sejam necessárias tipicamente apenas 50 a 60 volts para manter o arco, pode ser necessário usar até 400 volts para criar o processo inicial de formação de arco entre o bico e a peça de trabalho. Para conseguir isso, o eletrodo é carregado negativamente e a peça de trabalho carregada positivamente. Isso permite que o gás ionizado transporte a corrente de arco ou de elétrons entre o eletrodo ou bocal e o metal a ser cortado. O plasma, em grande parte devido à alta pressão, é extremamente quente e pode chegar a temperaturas de mais de 20 mil graus Celsius. O arco em si, na verdade, derrete o metal, enquanto que o plasma pressurizado remove detritos soltos da trajetória de corte. A natureza do corte de fusão pode tornar o processo inadequado para metais muito espessos, porque tende a arredondar as bordas superiores do metal. Este processo de corte tende a funcionar melhor com metais com menos de 5 centímetros de espessura.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível