A história do açucar mascavo

Escrito por kim hoyum | Traduzido por rita pacheco
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história do açucar mascavo
Açucar mascavo (brown sugar image by Bube from Fotolia.com)

O açúcar mascavo tem uma longa história, tendo sido o primeiro açúcar utilizado. Foi cultivado no mundo todo, e atingiu o auge de popularidade no século XVIII com a ascensão das plantações de açúcar do Atlântico. Existem vários tipos, e enquanto ela era originalmente uma forma inacabada do açúcar refinado, agora é frequentemente criado pela adição de melaço ao açúcar branco (para melhor consistência). Ele tem propriedades alimentares quase idênticas às do açúcar branco, mas acrescenta um sabor de melaço aos alimentos.

Outras pessoas estão lendo

Fatos

O açúcar mascavo é feito da cana-de-açúcar ou da beterraba. Os talos de cana ou beterraba são cortados e espremidos para seu suco, que é fervido até engrossar e virar um melaço. Cristais de açúcar surgem nessa mistura, e são removidos do melaço por centrifugação e secagem. Se o processo for até o fim, o resultado é o açúcar refinado. O açúcar mascavado é feito deixando melaço sobre o açúcar cristal.

Antigamente

A cana-de-açúcar foi cultivada pela primeira vez no sudoeste da Ásia, onde Marco Polo relatou em seus diários famosos que os chineses usaram o açúcar marrom escuro livremente, mas não refinavam. O cultivo da cana se espalhou para o Oriente Médio e para o círculo comercial do Mediterrâneo nos séculos XII e XIII. No século XIV, a ilha de Chipre no Mediterrâneo era o local com as principais fazendas de açúcar, usando escravos sírios e árabes como mão de obra. O cultivo de cana-de-açúcar se tornou ciência no século XV, na Sicília, com a invenção do moinho, o que acelerou o processamento da cana e libertou os escravos para aumentar o volume de açúcar refinado. Naqueles tempos, o açúcar mascavo era um subproduto do açúcar refinado, e não foi amplamente usado na culinária até o século XVI.

Comércio no século XVIII

O açúcar mascavo tornou-se popular com o aumento das plantações europeias de açúcar no Caribe, no século XVIII. Foi amplamente usado como adoçante na Inglaterra e em suas colônias americanas, pois era muito mais barato do que o açúcar branco. Seu uso e exportação das ilhas subiu em conjunto com o infame "comércio triangular." O comércio em triângulo refere-se a uma rota de comércio de três pontos usado por muitos comércios marítimos intercontinentais nos séculos XVI e XVII. Bens manufaturados eram negociados da Europa para a África, onde homens, mulheres e crianças eram escravizados e levados às Ilhas do Caribe, onde eram vendidos como escravos para as colônias do Sul ou plantações da ilha, que era a segunda etapa do triângulo, ou a "Passagem de Meio". A terceira etapa foi para o comércio de mercadorias produzidas pelos escravos como açúcar, chá, tabaco, algodão e café para as colônias e para a Europa.

Geografia

No século XIV, a cana-de-açúcar cresceu nas ilhas Portuguesas e Espanholas do Oceano Atlântico: Madeira, Açores, Canárias, Cabo Verde e São Tomé eram todos os produtores de açúcar antes do comércio triangular com as colônias americanas surgir. As plantações de açúcar que produziam açúcar mascavo e branco cresceu nas "Índias Ocidentais", como eram chamadas na época, nó século XVIII. Cuba, Jamaica e Barbados eram os melhores locais para plantações de açúcar. Santo Domingo e Porto Rico estavam entre as ilhas mais antigas do açúcar, no início do século XVI. O Brasil também teve muitos produtores açucareiros, já no final do século XVI, e continua a ser um líder. Nos tempos modernos, Havaí, Austrália, Europa, Tailândia e África do Sul são grandes produtores de açúcar.

Função

O açúcar mascavo foi usado historicamente para adoçar bebidas, pães e bolos, e fazer doces e molhos. É usado agora para adicionar o sabor rico de melaço a bens cozidos e outras receitas, e o açúcar castanho ainda pode ser usado como um substituto para o açúcar branco em quase todas as ocasiões. Também é um ingrediente popular para esfoliação corporal, pois sua textura granulada trabalha esfoliando as células mortas e a sujeira da pele, e o cheiro é agradável.

Tipos

O açúcar mascavo usado na panificação vem em dois tipos, claro e escuro, não é completamente refinado como açúcar branco, e tem um sabor de xarope de melaço. O açúcar mascavo tem uma cor mais escura e um sabor mais forte, e é usado em pão de gengibre, doces, feijão e outros alimentos com sabor mais pesado, enquanto o açúcar castanho é mais usado na panificação, e para fazer verniz, condimentos e doces. O açúcar turbinado, que é parcialmente transformado, ou cru, açúcar, em grandes cristais castanhos claros, é muitas vezes usado para chá ou café. O açúcar Muscovado ou Barbados, é muito escuro, tem o sabor muito forte, tem cristais maiores e uma textura mais pegajosa do que o açúcar mascavo normal. O Demerara é outro açúcar especial, com grandes cristais castanhos e uma textura pegajosa.

Benefícios

Os açúcares mascavo menos processados são popularmente conhecidos por conterem um pouco mais de vitaminas, cálcio e ferro do que o açúcar branco refinado, e estão voltando por este motivo. No entanto, ele ainda tem as mesmas calorias e os efeitos negativos do açúcar branco nos dentes, no sangue e no peso. Se o açúcar mascavo tem algum benefício à saúde é uma teoria que ainda não foi provada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível