História da Dodge Ram 4.7 V8

Escrito por richard rowe | Traduzido por guilherme maluf
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
História da Dodge Ram 4.7 V8
A estreia mundial do 4.7 litros foi com o Jeep Grand Cherokee de 1999 (David McNew/Getty Images News/Getty Images)

Por mais que não tenha sido chamada de Ram até 1981, a linha de picapes assinadas pela Dodge vem de mais de 50 anos atrás. Após décadas de pesquisas e desenvolvimento, os motores 4.7 litros "Magnum Próxima Geração" V8 e seu primo menor V6 de 3.7 litros foram recentemente adicionados à família e apresentados ao mercado.

Outras pessoas estão lendo

A Série D da Dodge

Introduzida em 1961, a Série D oferecia diversas inovações ao mercado americano de caminhonetes, sendo que a mais óbvia delas era a opção Crew Cab (cabine da tripulação, em inglês) que adicionou mais duas portas à opção de cabine estendida e transformou essa Dodge na primeira picape quatro portas do mundo. A Série D continuou por mais duas gerações (1968 a 1971 e 1972 a 1980) antes de receber a nomenclatura Ram em 1981.

Primeira geração da Ram

As picapes Ram da primeira geração (1981 a 1993) eram, essencialmente, Séries D com outro nome, já que usavam a mesma plataforma Chrysler AD que as sustentava e o utilitário esportivo Trailduster (depois chamado de Ramcharger). Os motores dessa primeira geração eram os 225 da Série D, com seis cilindros em linha de 5.211 cm³ e V8s de 5.900 cm³. O antigo com 3.982 cm³ e 105 cavalos a diesel foi abandonado em 1989 e substituído pelo Cummins a diesel de 160 hp.

Segunda geração da Ram

A segunda geração da Ram (1994 a 2002) foi a primeira incontestável, já que não possuía um único componente ou motor da sua antecessora em sua nova plataforma BR/BE. A nova geração do Magnum foi uma evolução do velho bloco Chrysler LA, muito parecido com o LT da Chevrolet, que também evoluiu do pequeno bloco clássico e vinha nas opções V6 de 3.9 litros, V8 de 5.2 ou 5.9 litros e V10 de 8.0 litros.

O V8 de 4.7 litros

Assim como a Ford fez com seu Modular de 4.6 litros e a GM com o Northstar, também de 4.6 litros, a Chrysler desenvolveu o motor PowerTech 4.7 litros (e seu primo V6 de 3.7 litros) como demonstrativo de sua tecnologia. Ele, também chamado de Magnum Próxima Geração, usava comando de válvulas no cabeçote de alumínio, assim como o da Ford e o da GM. Os primeiros motores produziam 235 cavalos, mas com os cabeçotes de encaixe duplo de 2008 e compressão maior, a potência subiu para 290 a 310 cavalos. Os antigos 4.7 litros High Output (de alto rendimento, usados entre 2002 e 2007 nas Dodge Ram 1500) alcançavam 265 cavalos, mas foram abandonados em 2007, já antecipando os mais potentes de 2008. O 4.7 litros original ainda equipava as Ram em 2011.

Fatos curiosos

Apesar de seu pequeno deslocamento, o desenho avançado do 4.7 litros fez dele um dos motores com mais potência por cm³ que a Chrysler já construiu. Depois da revisão de 2008, o motor ficou apenas 35 cavalos atrás do super badalado Novo Hemi (que era 983 cm³ maior em deslocamento) da Dodge. Na verdade, até o poderoso 426 Street Hemi com fama de super motor perde por pouco na potência específica do PowerTech: 6,08 hp a cada 100 cm³ contra 6,59 a cada 100 cm³. Em outras palavras, se o 4.7 litros tivesse o mesmo deslocamento do 426 Hemi, geraria 35 cavalos a mais de potência. Isso é a evolução.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível