História dos processadores AMD

Escrito por erik arvidson | Traduzido por philipe oliveira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
História dos processadores AMD
A AMD é a segunda maior fabricante de microprocessadores (Goodshoot/Goodshoot/Getty Images)

A Advanced Micro Devices (AMD) é a segunda maior fabricante de microprocessadores do mundo, atrás apenas da Intel. Em 2010, a AMD teve uma participação de 12,1 % no mercado global de microprocessadores, em comparação com 80,6 % da Intel, de acordo com a empresa de pesquisas iSupply. Ao longo dos anos, a AMD tem sido conhecida por fazer vários grandes avanços tecnológicos no desenvolvimento de processadores para computadores pessoais, estações de trabalho e servidores.

Outras pessoas estão lendo

Acontecimentos

A AMD foi constituída em 1969 em Sunnyvale, Califórnia. Um ano depois, a empresa lançou seu primeiro dispositivo próprio, o contador lógico Am2501, que foi muito bem sucedido. A empresa abriu seu capital em 1972. Em 1982, a AMD assinou um acordo com a Intel para supri-la como um fabricante de segunda ordem para os processadores dos computadores pessoais da IBM, mas tempos mais tarde, a Intel cancelou o acordo. Durante este tempo, a AMD desenvolveu o seu primeiro processador, o AMD 8086, idêntico ao modelo da Intel. O 8086 tinha uma velocidade de clock modesta de até 10 MHz, uma pequena fração da velocidade dos processadores modernos. A AMD continuou o desenvolvimento de processadores que eram uma alternativa mais barata aos produtos da Intel.

O K5 e o K6

Em 1995, a AMD lançou seu primeiro microprocessador que foi desenhado completamente por ela: o AMD-K5. O K5 era baseado na arquitetura x86 desenvolvida pela Intel, a qual se tornou o padrão dominante para microprocessadores. O K5 era tecnologicamente mais avançado que seu rival direto, o processador Pentium, oferecendo uma expressiva velocidade de clock de 100 MHz. Dois anos mais tarde, a AMD desenvolveu o microprocessador AMD-K6, visto como de alta performance e baixo custo, uma alternativa para o processador Intel Pentium II e ajudando a manter o preço dos PCs abaixo de R$2000. A AMD continuou a melhorar o K6 com versões mais novas, incluindo o K6-III que foi lançado em 1999, oferecendo uma velocidade de clock de até 450MHz e memória máxima de 4.096 MB.

Athlon

Em 1999, a AMD lançou o processador Athlon, a sétima geração de processadores. Naquele momento, o Athlon era o processador mais rápido disponível no mercado usando tecnologia x86, com uma velocidade de clock de até 1GHz. De fato, o Athlon foi o primeiro processador a quebrar a barreira dos gigahertz, e isso foi feito dias antes da Intel lançar no mercado seu processador Pentium III de 1GHz. O "front-side bus" do Athlon - que é basicamente o caminho entre o processador e a memória, o que é determinante para a velocidade do processador - era de 100MHz.

Sempron

Historicamente, a AMD desenvolveu produtos como uma alternativa de baixo custo à Intel. Isso foi novamente verdade em 2004, quando a AMD apresentou sua família de processadores de baixo custo, inicialmente chamados Duron, mas depois nomeados como Sempron. O Sempron era mais lento e tinha menos memória cache que o topo de linha Athlon, e foi projetado para competir com o Celeron da Intel, que também era voltado para PCs de baixo custo.

Phenom

Em 2007, a AMD alterou o nome Athlon, que era destinado à processadores topo de linha, para Phenom. Em 2010, a AMD continuou com a estratégia de produtos mais baratos que os da Intel, disponibilizando um processador de 6 núcleos e 3.2GHz, o 1090T, por aproximadamente R$590. Significativamente mais barato, uma vez que o Intel Core i7 970 de 6 núcleos e 3.2GHz tinha preço de mercado de aproximadamente R$1700.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível