Como manter a calma quando se trata de formatura

Escrito por georgann yara | Traduzido por elia regina previato
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail

Mantendo alta a empolgação e baixo o drama

Como manter a calma quando se trata de formatura
Trabalhe com seu filho para fazer dessa uma maravilhosa noite memorável (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

Não há nenhuma maneira de pais e filhos não entrarem em conflito durante todo esse processo de preparação para o baile, mas até a discussão pode ser planejada.

— Robyn McKay, psicólogo do Gary K. Herberger Young Scholars Academy, rs Academy, Universidade Estadual do Arizona

As frustrações correm soltas, não tem escassez de ansiedade e de vez em quando um surto irracional de gritos, e isso apenas da sua parte. Nem mesmo inclui o que está por vir de seu adolescente, que é quem realmente vai ao baile de formatura. A preparação para a grande noite é um questão familiar, e o estresse é uma companhia inevitável para a empolgação que ronda o que talvez seja o primeiro evento quase adulto de seu filho. Mas isso não tem que resultar em situações que façam você querer arrancar seus cabelos ou ficar com eles brancos. Há possibilidades de haver solavancos pelo caminho até o dia do baile. Mas o planejamento proativo, as conversas construtivas e lembrar de respirar ajudará a tornar a viagem um pouco suave para você e seu filho e a criar uma noite memorável para todos.

Rito de passagem

Você pode se lembrar do dia em que sua filha deu os primeiros passos sem ajuda, e você pode jurar que a tarde em que seu filho passou no teste para tirar a carteira de motorista aconteceu ontem. Mas por que esses marcos parecem se esvanecer em comparação com o significado assustadoramente monumental de uma noite que consiste principalmente de uma refeição e um baile ?

Além dos detalhes técnicos do baile, a característica intangível deste evento escolar chave é o seu sub-texto : a percepção de que seu menino ou menina não são mais tão pequenos. Alegria de ver seu filho se tornar um jovem adulto se confronta com um desejo de voltar o relógio. Esse conflito é o que está na raiz de muitos debates relacionados à formatura.

"O adolescente está crescendo e o baile é um rito de passagem, e algumas das questões vêm de pais que sentem que estão desistindo ou abrindo mão do controle ", disse Robyn McKay, um psicólogo do Gary K. Herberger Young Scholars Academy no campus de Phoenix da Universidade Estadual do Arizona . "Você percebe que seu filho não é mais um bebê. "

Enquanto os adolescentes estão tipicamente ansiosos para abraçar a vida adulta iminente e cravar sua independência, explica McKay , o instinto natural dos pais é combatê-la - principalmente devido a uma preocupação genuína com o seu filho , mas também em um esforço para adiar o inevitável por apenas um pouco mais.

"Como resultado, o que os pais tendem a fazer é segurar firme. Eles querem dar um último empurrão para a orientação em relação a uma boa tomada de decisões, fazer escolhas saudáveis ​​", disse McKay .

Estar ciente desta tendência pode ser um bom primeiro passo para reduzir disputas inevitáveis ​​e manter sua pressão arterial e sanidade, relativamente falando.

"Não há nenhuma maneira dos pais não entrarem em conflito com o filho durante todo esse processo ", disse McKay . "Mas você pode se preparar para a discussão. "

Crie uma visão juntos

Como manter a calma quando se trata de formatura
(Comstock Images/Comstock/Getty Images)

Comprar um vestido, experimentar um smoking, pedir as flores certas e garantir reservas para o jantar com antecedência são parte do curso do baile. Outro preparativo antecipado também é importante e um ponto chave para evitar muitas das dores de cabeça de última hora e debates sobre orçamento, roupas, toques de recolher e detalhes semelhantes: são os debates sobre a agenda e as expectativas para a grande noite.

Essas discussões devem começar cerca de um mês antes do baile, antes que a empolgação esteja em alta velocidade, sugere Kim Obert, gerente de programa para DrugFreeAZ.org, em Phoenix.

"Ter tempo para rever as expectativas e explorar as opções antes do evento ajudará você e seu filho adolescente a manterem a sanidade ", disse Obert, acrescentando que também facilitará evitar ceder aos desejos de seu filho no último minuto.

O equilíbrio é fundamental para a manutenção da paz, tanto quanto possível. Para orientar as filhas sem dominar, por exemplo, McKay sugere que mães e filhas criem uma visão do baile juntas, talvez através do método Pinterest ou algum outro método interativo que incentive o diálogo e gere ideias e até mesmo ideias de amigos e suas mães. Isso pode ser particularmente útil quando se trata de vestidos, maquiagem e cabelo, que tendem a estar entre os itens mais caros.

"Dessa forma, quando chegar a hora de comprar o vestido ou obter aprovação, ambas têm a visão em mente, o que eliminará muito conflito", disse McKay . "E se você pegar os outros envolvidos, as mães podem ajudar a orientar as escolhas, dizendo: "Eu adoraria esse decote nesse vestido ".

E enquanto aderir a um orçamento é uma obrigação, resista à tentação de usá-lo como uma ferramenta de controle . Talvez você tenha definido um limite de R $ 400 para o vestido de sua filha , mas o que acontece quando ela sai do camarim em um vestido $ 400 que ela adorou , mas está muito apertado, muito decotado ou simplesmente é inapropriado?

A reação comum, diz McKay, é os pais ameaçarem não comprá-lo. Isso leva a um conflito sobre esse vestido específico, que pode ser demorado e frustrante. Em vez disso, McKay recomenda perguntar à sua filha o que ela gosta naquele vestido e trabalhar com ela para encontrar um que agrade a ambas.

"É um jogo de poder muito comum para os pais usar o dinheiro contra seus filhos, mas não o use como fonte de poder. Dê como um presente, trabalhe para administrar o conflito e evite a luta pelo poder", McKay disse.

A formatura pode servir como uma lição de autonomia financeira e tomada de decisão. Por exemplo, se o seu filho quiser contratar uma limusine mas isso não está no seu orçamento, converse com ele sobre outras opções, como um grupo de amigos para dividir os custos ou alugar um carro menos caro, mas igualmente sofisticado e ter o pai ou outro parente vestido como motorista.

"É um grande momento para a resolução de problemas", disse McKay .

Duas frases para se lembrar

Quando se trata de temas mais sérios de segurança, horário de chegar em casa e comportamento adequado, McKay sugere incentivar o diálogo tanto quanto for possível, usando uma das duas frases quando o adolescente expressa o desejo de seguir um curso de ação que inicialmente você não concorda: "Sim, e..." e também "Conte-me mais."

Qualquer uma destas frases pode ser útil quando seu filho quiser chegar em casa mais tarde ou fazer uma ou duas paradas misteriosa na cidade depois que o baile terminar.

"Quando você diz não, você encerra a conversa e eles vão e fazem as coisas pelas suas costas. Quando você pedir para eles contarem mais ou diz sim e inclui uma opinião ou um comentário, acaba promovendo o diálogo", disse McKay .

Mesmo se houver um eventual "não" ao longo do caminho, os pais geralmente conseguem fazer seu filho se comprometer primeiro, mantendo o diálogo.

"Então você estará dando a seus filhos a oportunidade de pensar que a ideia foi deles" disse McKay.

Quando se trata de manter-se seguro, reitere que o adolescente pode chamá-lo a qualquer hora para obter ajuda sem que você fique bravo. Mesmo que ele revire os olhos durante o seu discurso sobre não entrar no carro com um motorista bêbado, ficar longe das drogas e não beber de um copo que ele deixou de lado ou ou cujo conteúdo não é conhecido, lembre-o de que você não vai ficar com raiva se ele lhe procurar.

"Se eles acham que você vai ficar bravo, não vão ligar para você [quando eles precisarem de você] e vão descobrir uma maneira de pegar uma carona", disse McKay. "Você quer criar uma rede de segurança em torno deles e dar-lhes opções."

Durante essas conversas intensas, se você puder deixar escapar uma piada ou uma história de sua juventude para fazê-los rir, faça-o.

"Usar o humor é uma das ferramentas mais poderosas para transmitir informação", disse McKay .

Treinar com seus filhos alguns cenários que podem acontecer com antecedência, deixando-o praticar suas reações a determinadas situações na frente de você, irá assegurá-lo de que ele está equipado com as informações corretas e aliviará sua mente.

"Pergunte a seu filho como ele lidaria com determinada situação e o que faria se a a carona estivesse bebendo ou usando drogas", disse Obert .

Colocar os holofotes sobre os amigos de seu filho adolescente é uma outra maneira de transmitir a mensagem de forma eficaz. A cada ano, Benjamin Forbes , patrocinador do conselho estudantil e professor de produções em TV na escola de ensino médio Corona del Sol High School, em Tempe, no Arizona, ajuda os alunos a produzir um anúncio de serviço público para os outros alunos a respeito da segurança no baile. Este ano, o tema principal é os perigos do consumo excessivo de álcool, uma tendência perigosa entre os estudantes do ensino médio.

Em vez de alertarem os alunos sobre como os comportamentos de risco e potencialmente fatais podem afetá-los diretamente, Forbes pede aos alunos para imaginar as pessoas com que eles se preocupam nessas situações.

"Em vez de dizer , 'Você pode se machucar', dizemos , 'Pense no seu melhor amigo agora e como isso afetaria você se estivesse acontecendo essa situação com ele ou ela'. Isso os faz pensar. É nesse momento que eles entendem a mensagem" ,disse ele.

Mantenha a calma

Falar calmamente e respeitosamente com seu filho adolescente é vital para garantir que ele esteja receptivo à sua orientação. Isso também irá ajudar a manter seu nível de estresse e volume de voz baixos.

"Eles respondem melhor quando os pais os tratam como adultos. Quando ouço um aluno dizer: 'Minha mãe fala comigo como se eu fosse uma criança', eu posso ver uma barreira entre os dois se erguendo", disse Forbes. "Nessa idade, eles são quase adultos e estão prontos para entender que más decisões têm consequências."

Se você sentir seu rosto corando e seu corpo ficando tenso durante uma conversa sobre a formatura, McKay sugere mudar fisicamente as suas condições. A respiração profunda proporciona mais oxigênio para o corpo, remove-o do modo de pânico e o mantém em um estado de calma e racional. Crie um código e use-o quando necessário para sinalizar quando é hora de todo mundo parar e fazer uma pausa até que todos tenham se acalmado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível