Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo

Escrito por natalie gailes | Traduzido por rosangela gandini
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo
Procure reduzir os comportamentos de autoestimulação, para que a criança se adapte melhor à sociedade (children image by Marzanna Syncerz from Fotolia.com)

Muitas crianças com autismo praticam comportamentos de autoestimulação, ou estereotipias, como um meio de se acalmarem ou demonstrarem que estão excitadas. Alguns exemplos incluem se balançar, balançar as mãos, cantarolar, bater palmas, manipular um objeto para cima e para baixo. Esses comportamentos não são prejudiciais. Entretanto, podem interferir na aprendizagem e tornar a criança menos adaptada socialmente. Aprenda a reduzir esses comportamentos, se interferem na produtividade da criança.

Nível de dificuldade:
Fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Redirecione a atenção da criança. Quando ela começar a autoestimular, foque a atenção dela em outra coisa. Dê algo para manter as mãos ocupadas, se ela estiver balançando as mãos ou aplaudindo. Toque música suave, se estiver cantarolando. Diga para ela dar uma caminhada, se gostar de pular para cima e para baixo. Mantenha um dos brinquedos ou os objetos favoritos dela com você, para que possa distraí-la com isso.

    Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo
    Manter as mãos ocupadas evitará que a criança fique balançando-as ou batendo palmas (Thomas Northcut/Photodisc/Getty Images)
  2. 2

    Substitua as estereotipias por uma alternativa mais aceitável socialmente. Muitas crianças com autismo são excluídas porque alguns desses comportamentos parecem estranhos para o mundo "normal". Há modos de ensinar a criança a autoestimular de um modo mais socialmente aceitável. Se ela balançar muito as mãos, ensine-a a tamborilar a carteira de modo mais calmo e menos óbvio. Se lamber objetos aleatórios, dê a ela pirulitos. Se pula para cima e para baixo, compre um trampolim, para ela dar saltos, que seja facilmente acessível. Quando se fornecer um modo alternativo de autoestimulação, ela ainda terá o estímulo sensorial que precisa e parecerá mais "normal".

    Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo
    Com brinquedos, a criança terá o estímulo sensorial necessário (Photodisc/Photodisc/Getty Images)
  3. 3

    Especifique um período certo para as estereotipias. Faça com que esse período faça parte programação da criança. Se der um horário apropriado e local para o autoestímulo, estará ensinando-a quando e onde fazer isso. Isso ajudará a reduzir a estereotipia inapropriada. Dê para a criança 10 a 15 minutos para a autoestimulação no quarto dela, quando estiver com sobrecarga sensorial, podendo ser logo após a escola, após uma atividade extracurricular ou depois de um passeio à mercearia.

    Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo
    Estabeleça horários e lugares para as estereotipias (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)
  4. 4

    Reduza as coisas estressantes no ambiente da criança. Muitas vezes os comportamentos de autoestimulação são disparados por situações que são estressantes para ela. Saiba o que a deixa nervosa, então poderá minimizar isso no ambiente. Eliminar as coisas que a estressam reduzirão a necessidade de autoestimular.

    Como reduzir comportamentos de autoestimulação em crianças com autismo
    Reduzir o estresse da criança fará com que ela sinta menos necessidade de autoestimular (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

Dicas & Advertências

  • Converse com uma terapeuta sobre reduzir os comportamentos de autoestimulação. Muitas crianças com autismo vestem coletes especialmente projetados e ponderados para ajudar a reduzir esses comportamentos.
  • Não ria de uma criança que demonstra comportamentos de autoestimulação. Fazer isso pode prejudicar a autoestima dela.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível