Os sinais e sintomas do câncer de mama

Escrito por jacqueline tourville Google | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os sinais e sintomas do câncer de mama
O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres (iStock.com)

Aproximadamente 15% das mulheres que desenvolvem câncer de mama têm uma familiar em primeiro grau — mãe, irmã, filha — que já foi diagnosticada com a doença.

OInstituto Nacional do Câncer (INCA) estima que entre 2014 e 2015 mais de 57 mil mulheres tenham sido diagnosticadas com algum tipo de câncer de mama. A doença costuma aparecer nas células que revestem os dutos de leite ou nas glândulas que produzem o leite. As células cancerígenas formadas na mama podem se espalhar para outros locais do corpo através dos linfonodos. Embora a grande maioria dos casos de câncer de mama seja diagnosticada em mulheres, foram registradas 181 mortes de homens causadas pela doença em 2013. Para ambos os sexos, os sintomas podem ser detectados através do autoexame da mama ou de um exame feito por um médico e uma mamografia. O sinal mais comum do câncer é um caroço encontrado na mama ou na região da axila. Como os sintomas podem ser relacionados a outros problemas não cancerosos, quase sempre são necessários mais exames para confirmar o diagnóstico. Recomenda-se que as mulheres façam mamografias anuais a partir dos 40 anos para facilitar o diagnóstico precoce.

Encontrar um caroço

O tecido mamário é naturalmente irregular, mas algumas mulheres podem detectar um caroço ou nódulo mais rígido ou mais grosso do que o tecido circundante. Nem todo caroço é canceroso. Alguns estão relacionados ao ciclo menstrual da mulher e desaparecem após a menstruação, enquanto outros podem ser cistos benignos. No entanto, procure seu médico sempre que perceber qualquer tipo de volume incomum.

Mudanças na pele

A aparição de covinhas ou rugas na pele pode ser um sinal de câncer de mama, assim como mudanças nos poros, deixando-o maiores e dando à pele uma aparência semelhante à de uma casca de laranja. Se seus seios apresentarem qualquer uma dessas características, não espere: consulte seu médico.

Sinais na pele

Se você perceber manchas na pele dos seios, nos mamilos ou nas auréolas — a região mais escura em volta do mamilo —, preste bastante atenção. Se essas áreas ficarem despelando, coçarem e ficarem avermelhadas ou mais escuras, ou ainda se seus seios ficarem mais quentes no local da irritação, é melhor conversar com um médico.

Mudanças no tamanho dos seios

Se você não estiver amamentando, um inchaço repentino em um ou ambos os seios pode indicar um bloqueio que causa o acúmulo de fluido linfático. Um problema nos linfonodos também pode aparecer como um inchaço na região da clavícula ou da axila. Se os seios diminuírem de tamanho inesperadamente, pode ser um sinal de mudanças hormonais, uma das possíveis causas do câncer.

É normal ter um seio ligeiramente maior do que o outro, mas se você perceber uma mudança recente no tamanho deles, converse com seu médico.

Mudanças nos mamilos

Alguns tipos de câncer de mama fazem com que o mamilo se retraia ou inverta-se completamente. Mas isso não significa que você tenha câncer. A gravidez, a amamentação e o simples envelhecimento podem causar essas mudanças. Além disso, algumas pessoas nascem com mamilos invertidos.

Secreção no mamilo

Uma secreção no mamilo, seja ela transparente ou com a presença de sangue, pode indicar um tumor. No entanto, uma infecção ou lesão no seio também podem provocar esse sintoma. Preste atenção e acompanhe qualquer secreção; se ela persistir, procure seu médico.

Dor nas mamas

A dor nas mamas é um sintoma comum, mas saiba que embora alguns tipos de câncer causem essa dor, a maioria não o faz. Estudos mostraram que apenas 5% das mulheres diagnosticadas com câncer de mama citam a dor como o sintoma principal.

Fatores de risco

Aproximadamente 15% das mulheres que desenvolvem câncer de mama têm uma familiar em primeiro grau — mãe, irmã, filha — que foi diagnosticada com a doença. A forte conexão familiar pode estar ligada a uma mutação hereditária do gene BRCA1 ou BRCA2. Pesquisadores estimam que ter uma dessas mutações aumenta os riscos de desenvolver a doença entre 45% e 65%.

A idade também é um fator importante. A incidência da doença geralmente começa a aumentar após os 40 anos, mas cerca de dois em cada três casos de câncer de mama invasivo, uma forma mais séria da enfermidade, são encontrados em mulheres com mais de 55 anos de idade.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Oxford, mulheres brancas têm 15% mais chances de ter câncer de mama do que as negras e 18% mais que as asiáticas. O artigo, publicado no British Journal of Cancer, explica que mulheres de descendências asiática e africana costumam ter mais filhos e amamentá-los, atitudes que ajudam a prevenir a doença.

Se você fuma ou é obesa, os riscos de apresentar câncer de mama aumentam, independentemente da idade.

Fique um passo à frente da doença

Até mesmo mulheres com 20 anos de idade devem realizar um exame clínico das mamas ao consultar um médico. Após os 40 anos, a Sociedade Americana do Câncer recomenda que elas tenham os seios examinados por um médico todos os anos, incluindo uma mamografia. Mulheres de todas as idades devem realizar o autoexame da mama com frequência para ajudar a detectar mudanças entre os exames médicos.

O primeiro passo após detectar alguma mudança é realizar a biópsia, que pode identificar melhor o problema. O tratamento depende da presença de um tumor e de calcificações e se o câncer se espalhou ou não para os linfonodos. As opções de tratamento variam, incluindo cirurgia para retirar um único tumor, terapia hormonal, radiação e quimioterapia, separados ou combinados.

Procurando ajuda

Em seus estágios iniciais, os sintomas do câncer de mama podem não ser aparentes a menos que um exame médico seja feito. Se você acha que corre risco de desenvolver a doença, converse com seu médico e realize os exames necessários. Ele também pode ensiná-la a realizar o autoexame da mama em casa.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível