Como tratar queimaduras químicas causadas por cloro de piscina

Escrito por francis walsh | Traduzido por débora cussiol
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como tratar queimaduras químicas causadas por cloro de piscina
Uma queimadura química precisa de atenção imediata (man with injured hand image by Joann Cooper from Fotolia.com)

O cloro é um componente cáustico que é comumente usado para equilibrar os níveis de pH em piscinas e sistemas de água. O produto é seguro quando usado corretamente, mas acidentes podem ocorrer, o que representa um perigo para a sua saúde e requer tratamento. A queimadura química do cloro em sua piscina vai afetar a área que entrou em contato em primeiro lugar e precisa ser tratada imediatamente, impedindo que a queimadura piore pela exposição prolongada. Uma vez que a pele for afetada, o tratamento para a queimadura depende da gravidade.

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Água (fria)
  • Ibuprofeno (alívio da dor)
  • Gaze (limpa)
  • Luvas
  • Aloe vera

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Diagnostique o nível da lesão imediatamente. Um diagnóstico consiste em olhar a área da queimadura e a reação da queimadura química por cloro. Use uma porcentagem da área afetada da pele como um dos fatores mais importantes. Grandes queimaduras quase sempre precisam de atenção médica imediata. Se a queimadura for dentro do nariz, boca ou olhos, procure um médico. Se as camadas de pele estão com lesões e os tecidos visíveis, vá direto para o pronto-socorro imediatamente. Além disso, se a pessoa parecer confusa, pálida, em estado febril ou estiver com a respiração curta, ela pode estar em estado de choque, e é preciso procurar atendimento médico imediatamente.

  2. 2

    Faça os primeiros socorros na área queimada, dependendo da gravidade. Coloque água fria sobre a pele queimada, pois isso vai ajudar a lavar o cloro restante e aliviar a área. Remova a roupa para expor a queimadura e toda a área ao redor da superfície da pele, mesmo para as piores queimaduras. Lave a área queimada completamente com água de fria para morna por 15 a 20 minutos.

  3. 3

    Reexamine a queimadura por produto químico. Se a área parecer queimadura de sol então você tem uma queimadura de primeiro grau. Se a queimadura empolou ou removeu a camada superior da pele, você tem uma queimadura química em segundo grau. Qualquer queimadura que esteja visivelmente pior do que a pele empolada apenas se qualifica como uma queimadura de terceiro grau, o tipo que requer atenção imediata por parte dos cuidadores profissionais para salvar a epiderme o máximo possível.

  4. 4

    Cubra queimaduras de primeiro grau com gel natural de aloe vera. Dê ibuprofeno para a dor e cubra áreas pequenas queimadas com gaze. Áreas grandes de primeiro e segundo graus (uma ou duas pequenas bolhas por seis centímetros da superfície cutânea) devem permanecer cobertas para evitar infecção nas camadas restantes da pele sob a área queimada. Não aplique aloe vera para a pele rachada. Enrole um chumaço de algodão limpo em torno da área queimada e deixe secar a área com bolhas de uma queimadura de segundo grau. Isso vai aliviar a dor e tirar o calor da queimadura.

  5. 5

    Mantenha vigília sobre a vítima até que a pele se recupere e comece a curar a si própria. A área queimada deve começar a coçar e secar até que as camadas da pele queimada descamem ou formem crostas nas bolhas. O tratamento das queimaduras feito adequadamente com aloe vera e bandagens frescas irá assegurar que a pele não forme cicatrizes e a vítima se restabeleça o mais breve possível.

Dicas & Advertências

  • Comece a monitorar a temperatura do corpo da vítima a partir do momento em que a queimadura for notada. Qualquer infecção na pele geralmente causará febre, que irá alertá-lo sobre a necessidade de continuação do tratamento da queimadura química por cloro em piscinas. Não use gelo ou outros cremes além de aloe vera, a menos que recomendado por um médico.
  • Esperar para receber tratamento adequado em caso de queimaduras químicas de segundo e terceiro grau pode resultar em maior perda do órgão epidérmico e aumenta o risco de complicações.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível