Como viver e se vestir depois de emagrecer

Escrito por amy francisco Google | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como viver e se vestir depois de emagrecer
Um guarda roupa novo: sua recompensa por ter emagrecido (Liquidlibrary/liquidlibrary/Getty Images)

A mulher norte-americana e a ocidental em geral tem, em média, 1,65 m de altura e pesa 63 quilos, enquanto a maioria das modelos mede cerca de 1,80 m, pesando apenas 53 quilos.

— The Eating Disorder Foundation

Ei, lindona! Sim, você mesma... Você que está lendo isso. Quê? Não acha que está bonita? Querida, você está lindíssima! Você se esforçou para que os quilos extra fossem embora e merece uma recompensa: sair para fazer compras e vestir sua versão 2.0.

Pense magra!

Você diz que não merece isso? Ainda se sente gorda? Bem, você não está só. Quatro entre cinco mulheres norte-americanas estão insatisfeitas com sua aparência, de acordo com a Eating Disorder Foundation (Fundação para distúrbios alimentares). Mas você sabia que duas a cada cinco mulheres trocariam anos de suas vidas para perder peso? Você já conquistou isso! E, considerando que a indústria da dieta é a única no mundo com taxa de fracasso de 98%, você é uma exceção incrível. Isso deveria fazer com que você se sentisse divina.

No entanto, se ainda lhe falta a autoconfiança necessária para ir em busca de um fabuloso novo estilo agora que emagreceu, saiba que isso é bastante comum entre mulheres que perderam alguns quilos. Emagrecer é mais um desafio mental que um desafio físico. Além de flexões e abdominais, é necessário fazer exercícios de relaxamento para manter sua nova figura. Como assim? Trata-se de um trabalho de auto afirmação, conforme aponta Signe Darpinian, terapeuta licenciado e fundador do My Weight, centro de tratamento californiano voltado para o tratamento de questões relacionadas a alimentação, peso e aparência.

"Você precisa desenvolver novas crenças" -- diz Darpinian. "Para isso, você deve trabalhar diligentemente em sua auto afirmação. Encare os pensamentos negativos e, gentilmente, mande-os embora. Troque-os por afirmativas como "Meu corpo é um templo e, dessa forma, vou tratá-lo". Escolha uma afirmação que reflita a sua real imagem.

Esteja pronta

Quando você se sentir pronta para fazer uma terapia de compras, faça-a do jeito certo. Darpiniam recomenda visitar o shopping no dia da sua seção com o terapeuta, caso tenha um. Caso não tenha, leve sua melhor amiga ou alguém próximo, com quem você possa contar.

E quando estiver envolvida em suas atividades, não caia no buraco negro da autoconfiança que é se comparar com outras, especialmente aquelas que enfeitam as páginas de revistas de beleza. Você sabia que a mulher norte-americana tem em média 1,65 de altura e 63 quilos enquanto a maioria das modelos mede cerca de 1,80 pesando apenas 53 quilos? Essa estatística impactante é dada pela Eating Disorder Foundation (Fundação para Distúrbios Alimentares), que também revela que algumas das principais revistas alteram imagens digitalmente para fazê-las ficarem perfeitas.

Compras no agora

Em relação a compras, terapeutas e estilistas concordam:

"Compre roupas que fiquem bem no seu corpo como ele está. Nem maiores nem menores", diz Darpinian. "Isso evita preocupações futuras e é um bom indicativo de você estar vivendo consciente no presente".

Experimente diferentes tamanhos, começando por um que você sabe que está grande em você e depois tente tamanhos cada vez menores até encontrar um que caia bem. Resista à tentação de se espremer num vestido justo feito com elastano. Poder fazer algo não significa que você deva, de fato, fazê-lo.

Sharon Harver, fundadora da revista online de moda FocusOnStyle, ex-estilista e autora de uma coluna de conselhos sobre moda, diz que você deve olhar cuidadosamente para os pontos positivos do seu corpo: pernas bonitas ou barriga sarada, por exemplo, e escolher roupas que valorizem essas áreas. E lembre-se que o seu biotipo não vai mudar, mesmo sem o excesso de peso.

"Uma vez maçã, sempre maçã", diz Haver, "mas uma maçã menor". Arrase com o que você tem.

Compras inteligentes

Com alguma sorte, o seu esforço em perder peso começou no seu interior e transformou seu exterior. Experimente algo semelhante com seu guarda-roupa. Comece a montar seu novo guarda roupa com peças íntimas que lhe caiam bem.

"Ao vestir um sutiã grande demais, você se sentirá flácida" -- diz Haver, "Invista no tamanho certo de sutiã. Reflita sobre dar um toque especial nas suas lingeries: meia calça com lycra e calcinhas cortadas a laser suavizam sua imagem. Quando você emagrece, perde elasticidade, portanto, manter uma boa forma faz com que você pareça mais magra".

Outros itens essenciais devem ser comprados com uma margem de erro, pois é impossível manter sempre o mesmo peso. Haver sugere jeans e calças com um pouco de elastano, pernas largas e cintura alta. Ela também recomenda peças que possam ter dupla utilidade, como uma túnica ou camisa que você possa usar solta para cobrir as nádegas ou com um cinto nos dias em que estiver se sentindo magra. O segredo para a parte de cima? "Jaquetas, casacos e blusas devem ficar certas nos ombros e busto. Se a roupa fica bem nessas áreas ficará bem nas outras".

E ficar bem é que é o importante, com suas novas roupas e seu novo corpo.

Dicas & Advertências

  • Se a sua jornada de emagrecimento é longa, não gaste uma fortuna em roupas de transição. "Faça amizade com os donos de um brechó local", diz Haver. "Brinque com as roupas que você tem e reconsidere as roupas básicas". Gaste seu dinheiro em acessórios ousados que você poderá continuar usando quanto tiver alcançado seu objetivo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível