×
Loading ...

Características comuns de cestódeos e esponjas

Os cestódeos são parasitas que vivem dentro dos intestinos de nossos animais. Em alguns cães e gatos, podem causar gases ruidosos de estômago, mas, na maioria das vezes, são imperceptíveis até os encontrarmos nos móveis ou nas camas dos cachorros. As esponjas, por outro lado, não são formas de vida parasitárias, e sim aquáticas. Esses animais são muito simplistas e crescem em praticamente qualquer tipo de água, levando vidas simbióticas com os outros animais e as outras plantas por perto.

Os cestódeos vivem dentro dos intestinos de nossos animais de estimação, embora passem despercebidos na maioria das vezes (dog image by Michal Tudek from Fotolia.com)

Características físicas de um cestódeo

Um cestódeo é um pequeno parasita que vive nos intestinos de um cão, um gato ou qualquer ser vivo. Esse parasita se engancha na parede intestinal e cresce em segmentos minúsculos. Cada segmento é como um pequeno corpo completo com seu próprio sistema digestivo e, se o verme perder um, simplesmente sai pelo reto do animal e deixa um saco de ovos. Os ovos eclodem, tomando um hospedeiro intermediário antes de avançar para animais maiores. Um cestódeo costuma ter cerca de 15 cm de comprimento, embora nós geralmente vejamos apenas segmentos do mesmo.

Loading...

Os cestódeos e o seu animal de estimação

Os cestódeos entram no seu animal por meio de um hospedeiro intermediário. Alguns usam larvas de pulgas, que o seu bicho ingere ao se lamber. O cestódeo se instala no intestino e cresce lá dentro. Outros tipos usam coelhos, camundongos e ratos como hospedeiros intermediários; se o seu animal comer qualquer parte do animal hospedeiro, pode ser infectado. Os cestódeos não causam muitos danos físicos e, ao contrário de outros parasitas, não põem ovos dentro de um animal. Devido a isso, podem passar despercebidos quando o seu veterinário verifica o ânus atrás de ovos de parasitas.

Esponjas

As esponjas são uma das formas de vida mais simples do planeta. Existem mais de 5 mil espécies de esponjas, que são uma forma de vida aquática, ou seja, vivem na água. A maioria é marinha, mas existem 150 espécies que vivem em água doce. A maior parte das esponjas emite substâncias químicas tóxicas para evitar predadores, e alguns animais utilizam esse talento ao colocar esponjas em seus corpos e permitir que cresçam nos mesmos. As esponjas vivem em relações simbióticas com muitas formas de vida aquáticas, incluindo plantas, bactérias e algas.

Características físicas das esponjas

Existem três tipos principais de corpos de esponjas. As esponjas asconoides possuem um formato de tubo com poros. Há uma única abertura para o exterior, chamada ósculo, através da qual a água que carrega os nutrientes entra e sai da esponja. As esponjas siconoides possuem um formato semelhante, porém são maiores. O tubo é mais espesso e os poros, mais compridos, formando um sistema de canais. O terceiro tipo é chamado de leuconoide; essas são as esponjas mais complexas. São feitas de camadas de tecido, sistemas de canais sobrepostos e câmaras minúsculas através das quais a água passa antes de sair pelo ósculo.

Reprodução da esponja

As esponjas se reproduzem de forma assexuada ou sexuada. O macho libera gêmulas ou espermatozoides na água, que então são absorvidos através dos poros de uma esponja vizinha e a fertilização acontece. Na maioria das espécies de esponja, o ovo fertilizado se desenvolve para formar uma blástula e depois é liberado na água. Isso acontece imediatamente após a fertilização. Em outras espécies, o ovo se desenvolve em uma fase mais complicada dentro da esponja mãe antes de ser liberado.

Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...