×
Loading ...

Como medir a resistência interna de uma bateria

Segundo dados divulgados pela Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos, entre 2001 e 2011 foram reportados cerca de 120 incidentes aéreos envolvendo baterias. Em muitos casos, companhias de entrega, como a UPS ou a Federal Express, informaram a ocorrência de curto-circuitos acidentais provocados por ​​baterias que superaqueceram ou, em casos extremos, pegaram fogo. A corrente necessária para iniciar um incêndio não exige uma tensão elevada; é necessário simplesmente uma ligação direta entre os terminais de uma célula com baixa resistência interna. Medir a resistência interna ajuda a caracterizar uma célula, particularmente quando se quer determinar a corrente máxima gerada por essa bateria.

Instruções

Curtos-circuitos acidentais podem provocar incêndios (Comstock/Comstock/Getty Images)
  1. Verifique se o interruptor está desligado. Utilizando um fio, conecte uma das extremidades do resistor ao seu próprio contato deslizante. Faça uma segunda conexão do contato deslizante a um dos terminais do interruptor. Conecte a outra extremidade do resistor ao terminal negativo da bateria a ser testada.

    Loading...
  2. Ligue o interruptor positivo do multímetro digital ao terminal positivo da bateria e a o negativo ao terminal não utilizado do interruptor. Verifique se todas as conexões estão firmes. Agora, você tem um circuito em série que pode ser ligado ao fechar o interruptor.

  3. No resistor variável, defina um valor que limite a corrente da bateria em menos de 1 A. Por exemplo, se você estiver usando uma célula de 9 V, a resistência não deve ser inferior a 9 ohms. Anote o valor da resistência.

  4. Ligue o multímetro. Configure-o para detectar corrente contínua, ou CC, de pelo menos 1 A.

  5. Feche o interruptor. No multímetro, leia a corrente em amperes e abra o interruptor. Registre a leitura atual juntamente com o valor da resistência.

  6. Aumente a resistência variável em cerca de 20%. Por exemplo, se a resistência inicial foi de 9 ohms, defina em cerca de 11 ohms. Anote o novo valor.

  7. Feche o interruptor e anote o valor atual. Abra a chave e grave a nova leitura juntamente com o novo valor de resistência.

  8. Repita o processo até que você tenha entre seis e oito medições, sempre aumentando a resistência em cerca de 20% em todas as medições. Anote seus resultados.

  9. Utilizando uma calculadora, calcule o inverso de cada leitura atual. Por exemplo, se a corrente for de 0,5 A, o inverso seria 1 dividido por 0,5, que é igual a 2. Faça esse cálculo para todos os valores e anote ao lado de cada resistência correspondente.

  10. Faça um gráfico com os valores de resistência e os valores inversos. Utilize o eixo X para o inverso da corrente e o eixo Y para os valores de resistência. Desenhe uma linha reta que melhor se ajuste aos pontos do gráfico.

  11. Observe o valor da resistência que intercepta o eixo Y. Ele deve ser negativo. Multiplique por -1. O resultado é a resistência interna da célula, em ohms.

Loading...

Dicas

  • A precisão do seu resultado será limitada pela precisão de suas medições. Para refinar seus dados, repita o experimento diminuindo a resistência de volta ao seu valor original. Antes de encontrar o inverso, para cada conjunto de medidas, calcule a média dos dois conjuntos de dados.

Aviso

  • Não permita que a corrente exceda 1 A, pois você pode danificar o resistor variável.
  • Não deixe o interruptor fechado por longos períodos, pois a bateria pode exaurir.

O que você precisa

  • Bateria para testes
  • Resistor variável calibrado
  • Multímetro digital
  • Interruptor
  • Arame
  • Calculadora
  • Papel milimetrado

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...