Baterias de óxido de prata versus alcalinas

Escrito por richard asmus | Traduzido por marcelo salzedas ricci
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Baterias de óxido de prata versus alcalinas
Diferentes aparelhos eletrônicos usam diferentes tipos de baterias (Image by Flickr.com, courtesy of maczter)

A escolha entre usar uma pilha alcalina ou uma de óxido de prata são será possível, na maioria das vezes. O custo de pilhas de óxido de prata grandes, se fossem encontradas, seria tão alto, que as tornariam inviáveis, principalmente com tantas alternativas de baterias recarregáveis disponíveis. Por isso, essa comparação deve ser feita apenas para pilhas pequenas e não recarregáveis.

Outras pessoas estão lendo

Bateria de óxido de zinco

Essas baterias são reconhecidas por sua alta densidade energética e habilidade de gerar correntes altas para seu tamanho, mas são extremamente caras devido ao uso da prata. Para produzi-las em larga escala, o custo se torna inviável, a não ser para alguns propósitos militares. Para aparelhos pequenos com espaço limitado, como relógios, aparelhos de escuta, calculadoras e algumas máquinas fotográficas, se tornam ideais e duram mais tempo. Uma bateria de óxido de prata não deve nunca ser usada em um recarregador.

Baterias alcalinas

Essas baterias são as mais comuns no mercado, na indústria e usos militares, já que seus custos são baixos e apresentam alta segurança. Possuem altos níveis energéticos e boa durabilidade, sendo melhores que suas concorrentes de óxido de zinco, porém não são tão eficientes em pequenos espaços como as de prata. Depois de longos usos, elas perdem a carga, podendo vazar e causar corrosão, tornando-se pouco atrativas. Entretanto, hoje em dia as alcalinas já podem ser encontradas nas versões recarregáveis.

Comparações químicas

As baterias alcalinas usam um ânodo de zinco (negativo) e as de óxido de prata usam um ânodo de zinco amalgamado. Como cátodo (positivo), a alcalina usa o manganês, e a de óxido de prata usa a própria prata como cátodo, daí seu nome. Ambas usam o hidróxido de potássio como eletrólito, que é um material perigoso, que nunca deve ser exposto. Uma vez que sejam totalmente usadas, as pilhas devem ser recicladas por órgãos autorizados de acordo com os padrões das agências de proteção ambiental.

Construção e capacidade

Para comparação, as pilhas Duracell alcalinas possuem uma maior variabilidade de tamanhos e formatos, variando desde o tipo "botão" e cilíndricas AAA até D ou maiores, com algumas versões multicelulares. Enquanto isso, as de prata aparecem apenas em tamanhos "botão". A capacidade das alcalinas varia de 34 mA por hora (mAh) até 15,000, mas as de prata variam de 14 a 180 mAh, apenas. Ambas possuem um potencial de 1.5 volts por célula.

Performance

As alcalinas seguem um gráfico de descarga decrescente, que significa que quanto mais usadas, menor voltagem terão. As baterias de prata possuem um gráfico plano, que significa que a voltagem não muda conforme seu uso, fazendo delas uma escolha perfeita para relógios para que mantenham a precisão. A temperatura de operação de ambas varia de -20 a 54 graus Celsius.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível