Como um colega de trabalho preguiçoso pode afetar empregados produtivos

Escrito por joy uyeno | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como um colega de trabalho preguiçoso pode afetar empregados produtivos
Como os bocejos, a preguiça pode ser infecciosa (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

Trabalhadores preguiçosos não só afetam os colegas à sua volta, mas suas ações (ou falta delas) afetam toda a organização. Sendo assim, lidar com a preguiça o mais rápido possível é vital para evitar infectar a cultura e performance da sua empresa. Lidando diretamente com a preguiça, você evita que isso penetre em toda a sua companhia.

Outras pessoas estão lendo

Moral

Quando trabalhadores produtivos veem um de seus colegas sendo continuamente negligentes no trabalho sem problema algum, isso diminui a moral e faz com que os empregados produtivos sintam que seu trabalho não é apreciado. Como um resultado, a empresa pode acabar perdendo o ímpeto conforme os funcionários diminuem sua produção para compensar a lacuna entre o trabalho que o colega preguiçoso está realizando e seu próprio trabalho. Se a falta de produção do colega não é percebida, isso também pode causar uma tensão entre os funcionários e seus gerentes, porque aqueles que trabalham mais podem pensar que os chefes não estão envolvidos nos processos. A revista "Inc" sugere que os gerentes conheçam as forças e interesses de seus empregados e executem balanços internos para se manter a par de qualquer perda de moral entre os funcionários.

Expectativas

Um colega de trabalho preguiçoso também pode distorcer as percepções dos funcionários sobre as expectativas de uma empresa. Por exemplo, se um trabalhador em particular está constantemente ausente por motivos insignificantes (como o clima, problema com o carro, problemas pessoais), pode parecer aos seus colegas que a empresa aceita esse tipo de comportamento. Esse tipo de preguiça afeta particularmente os funcionários novos, que estão aprendendo pelo exemplo que recebem. O indivíduo preguiçoso diminui a barreira para os talentos novos, criando uma base para a preguiça tanto para colegas atuais quanto para os futuros colegas de trabalho.

Saída

Quando existe a disfunção na cultura da empresa e os funcionários se sentem impotentes para mudar isso, eles saem e procuram emprego em outro lugar. A preguiça que passa despercebida pela gerência é uma forma de disfunção, porque representa uma falta de respeito com os empregados produtivos e falta de interação entre a gerência e os trabalhadores. Stephen C. Harper escreve na "Entrepreuner" que esses problemas afastam o talento, deixando a empresa com funcionários que são limitados em suas capacidades ou retidos pelos sistemas de comportamentos incutido pela cultura da companhia. A solução é construir um ambiente que promova a performance, permitindo que os funcionários cresçam e encorajando a inovação. Quando você desenvolve uma cultura empresarial forte que os empregados possam adotar, eles se comprometerão mais aos seus papeis e, assim, encontrarão menos motivos para aturar trabalhadores preguiçosos em silêncio até alcançarem um ponto onde precisam sair.

Considerações

Gerentes que valorizam seus funcionários podem fazer um colega preguiçoso voltar ao modo produtivo descobrindo a causa do comportamento do indivíduo. O psicólogo Leon F. Seltzer sugere que a preguiça tem sua raiz na falta de auto-eficácia, falta de suporte emocional suficiente, necessidade de reconhecimento ou falta de auto-disciplina. A revista "Inc" recomenda que se motive os empregados preguiçosos através da estipulação de metas, implementação de sistemas de recompensa, reconhecimento de seus talentos e a utilização desses talentos e interesses em seus trabalhos. Além disso, ter uma conversa franca com um funcionário sobre sua baixa performance pode esclarecer outros problemas causando a negligência, assim como a vida pessoal, que poderia ser aliviado com alguns dias de folga.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível