Cura para alopecia areata da barba

Escrito por brad mchargue | Traduzido por aline cortez
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A alopecia areata é uma forma comum de perda de cabelos. Acredita-se que é uma doença autoimune. Ela pode atingir homens, mulheres e crianças e afeta geralmente partes do couro cabeludo. Se a condição afeta o rosto, ou a barba, ela é chamada de alopecia areata da barba. O tratamento para esse problema é o mesmo da alopecia areata do couro cabeludo e geralmente inclui o uso de corticosteroides. Contudo, tratar nem sempre é necessário, já que a alopecia areata costuma desaparecer por contra própria.

Outras pessoas estão lendo

Observação

Do mesmo modo que não há cura definitiva para a alopecia areata, também não há para a alopecia areata da barba. A eficácia do tratamento varia de pessoa para pessoa. O melhor método para tratar essa condição é manter o rosto barbeado. Já que a alopecia areata é geralmente caracterizada por queda esporádica e crescimento de cabelos, observar atentamente os padrões de perda e crescimento na área da barba ajudará a determinar se o tratamento é necessário. Se a condição começar a afetar o couro cabeludo ou caso ela se torne suficientemente grave para justificar tratamento, podem ser usados corticosteroides.

Corticosteroides

O principal método de tratamento da alopecia areata é o corticosteroide (geralmente a cortisona), que funciona dobrando os efeitos dos hormônios liberados pelas glândulas adrenais. Injeções mensais são aplicadas diretamente na área afetada, logo abaixo da epiderme. Os efeitos colaterais são mínimos e incluem dor localizada e atrofia da pele, embora isso geralmente seja reversível.

No caso de perda de cabelo, corticosteroides em forma de comprimido (corticosteroides sistêmicos) podem ser prescritos. Normalmente observa-se melhora dentro de 4 semanas. Ao contrário de injeções padrão, os efeitos colaterais de corticosteroides sistêmicos podem ser graves. Eles incluem dores de cabeça, alterações de humor, catarata, pressão alta, osteoporose e diabetes. Esses medicamentos são usados por poucas semanas apenas e somente como último recurso.

Outras terapias

O número de terapias e tratamentos disponíveis é imenso e incluem imunomoduladores tópicos e terapia biológica. Medicamentos como pimecrolimus tópico, ciclosporina tópica e infliximabe estão sendo estudados. Muitos desses novos tratamentos se focam no sistema imunológico, já que a alopecia areata é considerada um sintoma de deficiência desse sistema.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível