Definição de emenda em correia transportadora

Escrito por jada cash | Traduzido por luciana p. s. lopes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Definição de emenda em correia transportadora
Transportador de correia (Ryan McVay/Photodisc/Getty Images)

Os transportadores de correia vêm sendo utilizados há décadas e são uma ferramenta preciosa em vários tipos de indústria, pois transportam facilmente uma série de materiais diferentes. Existem centenas de tipos de sistemas, mas todos têm uma coisa em comum: a movimentação de mercadorias. A alta produtividade é fundamental, não importa o tipo da indústria e da correia, cuja emenda tem um papel importante em relação à produtividade da mesma.

Outras pessoas estão lendo

Definição

O processo de emenda da correia consiste em juntar dois pedaços da mesma, geralmente para alongar o comprimento original ou para fazer reparos em uma correia danificada ou rasgada. Uma vez que esses sistemas são empregados em muitas indústrias, existem muitos tipos de transportadores e componentes. Para fazer uma emenda corretamente, o tipo de correia, a velocidade do sistema, os materiais transportados e o ambiente do equipamento devem ser levados em conta.

A importância de uma boa emenda

Caso uma emenda seja feita incorretamente, a integridade da correia e de todo o sistema fica comprometida. Quanto mais tempo for gasto fazendo a emenda, menor o tempo de parada. Em ambientes de fabricação, produção e mineração, esse tempo pode resultar em perdas financeiras. Emendas incorretas também podem ocasionar a queda do material transportado, levando a problemas e perda de lucro.

Tipos de emenda: mecânica

A emenda mecânica é feita com articulações ou placas metálicas. Esse método exige um sistema de fixação mecânico e um martelo ou rebitador elétrico para instalação dos fixadores. É uma solução versátil, pois pode ser aplicada em vários ambientes diferentes e em muitos tipos de correia. Tipicamente, é usada em aplicações em que as correias sofrem muito desgaste ou precisam ser continuamente expandidas, em ambientes sujos, com alta umidade ou em locais apertados. Dentre essas aplicações estão a mineração, pedreiras e outras indústrias pesadas.

Tipos de emenda: vulcanização

A vulcanização cria uma emenda utilizando calor e/ou produtos químicos. É um processo mais intrincado e exige ferramentas especiais, conhecimentos técnicos e um ambiente limpo, com temperatura e umidade controladas. Se feita corretamente, entretanto, é mais uniforme e durável do que a mecânica. Existem dois tipos de vulcanização: quente e fria. A vulcanização a quente cria emendas através de calor e pressão por meio da prensa vulcanizadora. A vulcanização a frio cria a emenda através de produtos químicos que unem duas partes da correia. Ambos os tipos demandam mais tempo e preparação do que as mecânicas. Além disso, somente algumas correias, utilizadas em alguns tipos de ambiente, permitem a vulcanização. Uma vez que a correia deve ser desmontada e removida do sistema, a vulcanização é uma solução de longo prazo para aplicações com cargas leves e que não exigem reparos constantes ou ampliações da correia.

Vulcanização e emenda mecânica: considerações

Existem muitas variáveis a considerar ao escolher entre emendas mecânicas ou vulcanizadas: - A vulcanização tende a ser um processo muito mais caro do que as emendas mecânicas, embora as vulcanizadas costumem durar mais quando feitas corretamente. - A vulcanização é um método demorado e, portanto, exige mais tempo de parada do sistema. Muitos ambientes e tipos de correias não permitem emendas vulcanizadas coesas. - A possibilidade de vazamento de materiais é menor em correias vulcanizadas. - Emendas mecânicas são mais fáceis de inspecionar. No caso das vulcanizadas, não há como perceber o dano até que seja tarde demais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível