Os efeitos de aparelhos auditivos sobre um marca-passo cardíaco

Escrito por kim norton | Traduzido por lean pereira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Se você possui um marca-passo cardíaco, é possível que também tenha um aparelho auditivo, especialmente se tiver idade avançada. Já que ambos dispositivos operam de forma eletrônica, e um aparelho auditivo opera com uma bateria sem fio que frequentemente é mantida, por conveniência, em um bolso peitoral próximo à localização padrão de um marca-passo cardíaco, é preciso alguma cautela quanto à possibilidade de que suas funções sejam afetadas pela bateria de seu aparelho auditivo.

Outras pessoas estão lendo

Como funciona um marca-passo?

Um marca-passo monitora e ajuda a controlar a batida de seu coração através de uma bateria, um gerador computadorizado e cabos com eletrodos ou sensores em uma extremidade. O gerador é ativado pela bateria, e ambos estão encapsulados em uma fina caixa de metal. Os cabos, na extremidade da caixa, conectam o gerador ao seu coração. O marca-passo trabalha através de eletricidade, detectando a atividade elétrica de seu coração e, se detectar que seu coração bate de forma anormal, envia impulsos elétricos para voltá-lo ao normal. Ele também registra a constante atividade elétrica de seu coração para que seu médico possa monitorar tanto o coração quanto o marca-passo.

Como funciona um aparelho auditivo?

Um aparelho auditivo é um pequeno dispositivo eletrônico que ajuda a ampliar o som. Todos o aparelhos auditivos possuem um receptor, um amplificador, uma bateria e um circuito elétrico. A maioria deles usa um controle remoto (RCD) para ativar o aparelho. Existem pelo menos quatro diferentes tipos de dispositivos de auxílio à audição: FM, indução eletromagnética, tons e infravermelho para gerar um sinal.

Aparelhos auditivos e marca-passos

A pergunta é se a bateria elétrica RCD de seu aparelho auditivo pode causar qualquer interferência, ou mesmo interromper completamente seu marca-passo elétrico. Isso é uma preocupação, já que as funções de um marca-passo sabidamente reagem de forma negativa aos sinais de celulares, equipamento de vigilância e outras tecnologias sem fio.

Alerta dos produtos

Algumas literaturas dos produtos de auxílio auditivo RCD têm alertas expressando que, se você possui um marca-passo, não deve manter o controle remoto de seu aparelho próximo ao local onde ele está instalado. Um bom exemplo de onde não carregar seu RCD, de acordo à literatura, seria um bolso peitoral em uma camisa ou terno.

Dois estudos

A edição de abril de 2001 do Hearing Journal continua um artigo por Levi A. Reiter e Jorge Camunas relacionando os "controles remotos para aparelhos auditivos e o paciente com marca-passo". No artigo, os autores descreveram dois estudos que haviam feito em aparelhos auditivos e marca-passos. O primeiro foi feito em um único paciente em um centro de marca-passos com um médico presente. O segundo foi uma exploração dos efeitos em diversos tipos de RCDs nas diversas variedades de marca passos, feitos com uma cavidade torácica artificial. Os autores notaram que não havia nenhum estudo ou pesquisa publicados no tempo de seus experimentos a respeito da possibilidade da proximidade entre aparelhos auditivos e um marca-passo poderia gerar uma interferência eletrônica que afetaria negativamente ao último.

Quatro RCDs foram escolhidos para o segundo estudo, e operaram em quatro posições diferentes: diretamente sobre o lugar do marca-passo, sobre o mesmo lugar a uma distância de 45 cm, 2,5 cm de distância do cabo atrial e a 2,5 cm do cabo ventricular.

Nenhum dos controles remotos testados em qualquer estudo interferiram com o batimento do coração ou a função sensitiva dos marca-passos operacionais, e não houve interrupção ou interferência na regularidade dos batimentos com quaisquer dos RCDs usados. Foi notada uma perda da sensibilidade remota e mensuração dos dados cardíacos (que seu médico usaria para conferir o funcionamento de seu coração e do marca-passo) naqueles a 2,5 cm do marca-passo nos modelos FM e de indução eletromagnética.

Os autores do artigo concluíram que nenhuma função do marca-passo recebeu interferência com o funcionamento normal de qualquer dos RCDs que foram testados próximos a ele. Mas, já que a sensibilidade remota foi afetada pelos modelos FM e de indução eletromagnética, os alertas da literatura dos produtos devem ainda ser observadas em relação à proximidade.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível