Como ocorre o ciclo do carbono dentro de um vaso de vidro transparente?

Escrito por john brennan | Traduzido por andressa gonzalez
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como ocorre o ciclo do carbono dentro de um vaso de vidro transparente?
Algumas plantas e um caracol em um vaso transparente fornecem uma ilustração simples do ciclo do carbono (Ryan McVay/Lifesize/Getty Images)

O carbono viaja através dos ecossistemas em um caminho circular, que é chamado de ciclo do carbono. Você poderá ver essa série de eventos por si mesmo através da construção de um ecossistema em miniatura dentro de um vaso de vidro ou outro recipiente transparente. Esses tipos de recipientes são chamados de terrários se contiverem apenas plantas ou de viveiros se também tiverem animais.

Outras pessoas estão lendo

Condições

É importante que o vaso seja claro ou transparente, pois as plantas precisam de luz para a fotossíntese; sem a luz, elas não poderão fixar o carbono. Ao mesmo tempo, o vaso não deverá receber luz solar direta, para que não se aqueça, o que poderá matar as plantas (Veja Referências 2), Também é importante que o solo adicionado no vaso esteja úmido e que tenha os nutrientes que as plantas precisam para crescer. Tendo em vista que as plantas em seu vaso são grandes o suficiente, você poderá introduzir um herbívoro, como um caracol, para ilustrar o ciclo do carbono completo.

Ciclo

Depois de colocar as plantas e um herbívoro com fome no vaso, um ciclo simples ocorrerá em seu interior. As plantas absorverão o dióxido de carbono da atmosfera e, usando a energia da luz solar, o transformarão em compostos orgânicos, como açúcares. O caracol, entretanto, comerá as plantas e, assim, obterá tanto o carbono quanto a energia de que necessita para cumprir as suas próprias necessidades. O dióxido de carbono do ar no interior do vaso seguirá seu caminho cíclico através de seu ecossistema em miniatura.

Experiência de Priestley

Esse tipo de experiência pode parecer muito simples, mas na verdade foi central para uma das grandes descobertas da ciência primitiva. Em 1773, o químico inglês Joseph Priestley tentou queimar uma vela em um frasco lacrado para ver como ela mudaria o ar em seu interior. Um rato, colocado no frasco logo depois, sufocou-se rapidamente. Uma planta colocada em seu interior, no entanto, sobreviveu. Quando colocou um rato no frasco junto com a planta, ele não sufocou. Priestley deduziu que a vela queimada tinha esgotado o ar no frasco, enquanto a planta tinha, de alguma forma, o "refrescado". Essas experiências mais tarde levaram à descoberta do oxigênio e do ciclo do carbono.

Terra

Priestley se perguntou se as plantas ao redor do mundo "refrescavam" o ar respirado pelos animais, da mesma forma que elas fizeram no interior de seu frasco. Hoje, os cientistas sabem que seu palpite estava correto. A Terra é um pouco como as plantas e os herbívoros dentro de um terrário; ela recebe a energia solar que as plantas usam para fixar o CO2 antes que elas, por sua vez, sejam consumidas pelos herbívoros. No processo, elas também liberam o oxigênio, o gás que os animais e os humanos precisam para respirar. Seu terrário é uma versão em miniatura do ciclo maior que ocorre em todo o planeta.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível