Plantas flutuantes emergentes e submergentes para lagos

Escrito por laura reynolds | Traduzido por andré schwarz
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Plantas flutuantes emergentes e submergentes para lagos
Lagos e elementos semelhantes podem ser incrementados com grande variedade de plantas (Ryan McVay/Photodisc/Getty Images)

A popularidade de elementos com água caríssimos em projetos paisagísticos nos faz lembrar da importância da água ao meio ambiente. Lagos, rios e pântanos são componentes essenciais do ciclo da água, retêm águas de tempestades e fornecem alimentos a anfíbios, mamíferos e aves terrestres que vivem em suas margens. Plantas submergentes e emergentes caracterizam pântanos e bacias e são ótimos incrementos para os referidos elementos.

Outras pessoas estão lendo

Adaptação

Lagos e rios coletam água e a direcionam ao oceano. No entanto, há áreas intermediárias em toda bacia hidrográfica onde os níveis da água e do lençol freático se situam próximos à superfície da terra. Esses charcos não absorvem a água da chuva, que irá se acumular. Seu nível só baixará conforme ela for sendo drenada por rios e córregos. As matas ciliar e de pântanos ajudam a manter o relevo e o habitat dos animais que neles habitam. Para tal, elas deverão se adaptar ao solo encharcado ou às cheias por pelo menos parte do ano.

Plantas submergentes

Elas são também denominadas "plantas aquáticas", respiram e absorvem nutrientes na água e fincam suas raízes nos solos barrentos de córregos, lagos e pântanos. Muitas, como as dos gêneros utricularia e anthocerotophyta e as algas, são organismos primitivos que nunca evoluíram para a vida terrestre. Outras, como as cabombas, podem aparecer em aquários domésticos. Náiades e outras plantas podem fornecer alimentos a anfíbios, peixes, répteis e aves. Depois de mortas, elas fornecem alimento a invertebrados aquáticos microscópicos, como o plâncton, que por sua vez é predado por peixes e outros organismos maiores. Espécies não nativas podem se tornar hostis ao ecossistema, não devendo nunca ser soltas diretamente na natureza, pois poderão se multiplicar descontroladamente.

Plantas flutuantes emergentes e submergentes para lagos
Plantas flutuantes fincam raízes no fundo, mas crescem sobre a superfície (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Plantas emergentes

Plantas emergentes incluem espécimes que fincam raízes em partes rasas, como o lótus americano e o agrião. Elas também poderão se desenvolver junto às margens de cursos d'água e nas partes rasas de áreas alagadiças. Há espécies que se espalham pelo solo e outras que se mantêm eretas. Essas plantas precisam ser adaptáveis, pois o nível da água muda com a estação do ano. Suas partes submersas provêm abrigo a invertebrados que formam a base da cadeia alimentar e suas frutas e raízes fornecem alimento para animais terrestres e aquáticos.

Plantas flutuantes emergentes e submergentes para lagos
Evite espécies exóticas agressivas como a salgueirinha (Hemera Technologies/Photos.com/Getty Images)

Considerações

O uso de plantas submergentes e emergentes em projetos paisagísticos confere a eles uma certa autenticidade. Ainda mais importante é o fato de que essas plantas resistem e se propagam com maior sucesso que as plantas terrestres, ajudando a estabelecer um miniecossistema de fácil manutenção. Seja na restauração de margens de rios e córregos ou na incrementação de um lago de carpas, espécies nativas fornecerão abrigo para peixes, aves e invertebrados que delas se alimentam.

Plantas flutuantes emergentes e submergentes para lagos
Espécies nativas conferem beleza e atraem animais (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível