Práticas de eugenia no século XXI

Escrito por travis eby | Traduzido por rodrigo gammaro alves nunes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Práticas de eugenia no século XXI
A eugenia é uma realidade no século XXI (Thomas Northcut/Lifesize/Getty Images)

Práticas de eugenia no século 21 foram envoltas por investigação e controvérsia. Elas apresentam a sociedade com perguntas difíceis e em alguns casos, decisões difíceis, especialmente para os pais. Essas práticas podem ser divididas em duas categorias distintas: a engenharia genética positiva e engenharia genética negativa.

Outras pessoas estão lendo

Engenharia genética negativa

A engenharia genética negativa é o processo de alterar ou remover genes que possam causar doenças. Genes que são somáticos, ou não produtivos, podem ser projetados para corrigir deficiências. Este processo é chamado de transferência de genes de células somáticas. Este tipo de terapia usa o forte maquinário do DNA para corrigir os genes doentes e reintroduzi-los no corpo do paciente, como substituição de genes defeituosos. No entanto, a autorrenovação de células-tronco são necessárias para substituir as doentes.

Práticas de eugenia no século XXI
As práticas eugenicas podem ser usadas para combater doenças (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Transferindo informações

Entregar o pacote genético através de um vírus é um método utilizado em muitos estudos para transferir informação genéticas novas a um sujeito. No entanto, este método pode provocar rejeição do corpo ao vírus, resultando em falha do órgão e, portanto, apresenta um obstáculo. No entanto, a partir de 2007, Ashanthi De Silva, que recebeu a terapia genética, em 1990, para um distúrbio de imunodeficiência aos 4 anos de idade, estava em boa saúde e ia à escola.

Práticas de eugenia no século XXI
Em eugenia os vírus são usados para transferir informação genética (John Foxx/Stockbyte/Getty Images)

Gravidez

Antes ou durante a gravidez, a eugenia pode ser usada para determinar se existe doença genética. Uma abordagem usa amostras do líquido amniótico para verificar problemas no primeiro trimestre da gravidez. Outra opção é o diagnóstico genético pré-implantação, que permite aos pais escolher os embriões mais saudáveis ​​para fertilização in vitro. Isso pode apresentar decisões difíceis para os pais. Se o teste do líquido amniótico sugerir defeitos, eles devem interromper a gravidez? E se o teste for impreciso?

Práticas de eugenia no século XXI
A eugenia é usada em gravidezes para prever defeitos (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Engenharia genética positiva

A outra categoria de práticas de eugenia do século XXI é o da engenharia genética positiva. Este processo tem por objectivo melhorar os genes do sujeito. Isto é de particular interesse no esporte profissional, onde o uso de esteroides tem se tornado um problema. Em vez de usar produtos ilícitos, o atleta poderia optar por "doping genético". Apesar de nenhum ser humano ter passado por doping genético, um estudo conduzido por Ronald Evans, do Instituto Salk para Estudos Biológicos e publicado na revista "Science" em 2002, mostrou aumento dos músculos em camundongos injetados com fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível