Mais
×

Quais os perigos dos implantes dentários?

Atualizado em 17 abril, 2017

O implante dentário é uma opção eficaz para pessoas que perderam dentes. Ele envolve a utilização de uma "raiz" de metal para que um dente substituto possa ser fixado. Essa raiz é inserida cirurgicamente no osso maxilar do paciente. Bons candidatos para implantes são aqueles com osso suficiente em sua mandíbula para suportá-los, que tenham gengivas saudáveis ​​e que não sejam fumantes. Embora tenham uma alta taxa de sucesso, ainda existem perigos potenciais associados ao procedimento.

Dentes implantados parecem naturais (Christopher Robbins/Photodisc/Getty Images)

Infecção

Como com qualquer procedimento cirúrgico, os pacientes que recebem implantes dentários podem enfrentar o perigo de uma infecção. Essas infecções podem desenvolver-se na gengiva em torno dos implantes ou no próprio osso. Caso se desenvolva uma infecção no maxilar inferior, ela também pode infectar os tecidos moles da boca e da garganta. A infecção também pode desenvolver-se em cavidades nasais de um paciente. A maioria das infecções, no entanto, pode ser tratada com sucesso com antibióticos. Um paciente que desenvolve uma infecção deve ver o seu dentista imediatamente.

Ruptura

Ocasionalmente, um implante dentário ou a "raiz" de metal pode se quebrar, e em alguns casos, ele todo pode se soltar ou cair. Os implantes que se quebram correm o risco de provocar danos adicionais, e eles geralmente precisam ser removidos. Para ajudar a evitar a ruptura do implante, o paciente deve abster-se de comer alimentos duros que possam danificá-lo. Os dentistas recomendam que eles comam apenas alimentos macios por cinco a sete dias após a cirurgia.

Danos aos nervos

Embora raro, há um ligeiro risco dos pacientes experimentarem danos ao nervo durante a cirurgia de implante. O risco de danos nos nervos é maior quando o dentista estiver trabalhando na parte de trás da mandíbula inferior. O dano a um nervo nesta área pode causar dormência, sensação de formigamento ou dor na mandíbula, gengiva, dentes, queixo e lábios. Dependendo do paciente, estas sensações podem ser temporárias ou permanentes.

Osteointegração

Após a cirurgia, o implante dentário se integra ao osso circundante, em um processo chamado de osteointegração. No entanto, é possível que a peça não se integre apropriadamente com o osso maxilar e dentes naturais vizinhos. Se o implante não se integrar corretamente, pode também não funcionar corretamente, provocando algum desconforto ao paciente. A osteointegração falha pode ocorrer quando o paciente exerce uma pressão excessiva sobre o maxilar antes do implante ter se fundido com êxito.

Dano ao seio nasal

Durante a cirurgia, é possível que o implante se estenda até as cavidades nasais de um paciente durante o processo de perfuração. Isso pode danificar a cavidade sinusal ou levar a uma infecção. Se o paciente tiver risco de uma complicação relacionada ao seio nasal, pode antes fazer uma cirurgia de elevação do seio nasal. Esta cirurgia envolve o aumento da altura do osso do maxilar, tornando mais fácil para o dentista inserir o implante dentário.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article