Quais os perigos das vacinas caninas contra parvovirose e cinomose?

Escrito por heather vecchioni | Traduzido por mariana dsp
Quais os perigos das vacinas caninas contra parvovirose e cinomose?
Os riscos da aplicação da vacina costumam ser raros (dog image by Renata Osinska from Fotolia.com)

Apesar de as vacinas caninas contra a parvovirose e a cinomose serem seguras, há alguns efeitos colaterais potencialmente fatais. A possibilidade de esses efeitos acontecerem é mínima, mas eles são muito sérios e fazem com que o cão fique muito doente. Contudo, na maioria dos casos, os benefícios de receber a vacinação compensam as chances mínimas de ele desenvolver algum dos efeitos. Se estiver preocupado com os potenciais perigos da vacina, consulte um veterinário.

Sintomas neurológicos

De acordo com a Dra. Holly Nash do Doctors Forster and Smith, podem haver sintomas neurológicos após a aplicação da vacina contra cinomose. Na verdade, essa vacina é uma das principais causas de problemas neurológicos, pois ela pode causar uma inflamação no cérebro. Os sintomas neurológicos podem incluir dificuldade ao andar, como tropeçar e mancar.

Letargia, febre e diminuição do apetite

Os cães que receberem a vacina contra parvovirose e/ou cinomose poderão ficar letárgicos após a aplicação. Esse fato se deve ao vírus vivo que é injetado em seus corpos, de acordo com o site Pet Informed. O corpo do cachorro tenta lutar contra o vírus, deixando-o cansado e, por vezes, apático. Ele pode até ter febre e se recusar a comer. A maioria desses sintomas passa após um ou dois dias.

Choque anafilático

Apesar de ser bastante raro, o choque anafilático é um risco da vacina contra cinomose e parvovirose. O choque ocorre se o cachorro tiver alergia muito forte a algum dos componentes da vacina. Cães com choque anafilático podem ter frequência cardíaca acelerada, diarreia, vômito, convulsões, coma e inchaço na face. Se não tratado corretamente, o cão poderá morrer. Esse tipo de reação costuma acontecer entre minutos após a aplicação da vacina, até 24 horas. Felizmente, a chance de ocorrer um choque anafilático é de 1 em cada 15.000 vacinas aplicadas, diz o Dr. Ronald Schultz da Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Wisconsin.