Sobre os casamentos medievais

Escrito por erin moonyeen haley | Traduzido por ana luisa takahashi
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sobre os casamentos medievais
Há muitas tradições da época medieval que ainda existem nos tempos atuais (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Casamentos medievais podem parecer celebrações orgíacas quando comparados às núpcias atuais. Durante ele, a noiva caminha lentamente até o altar, vestida em branco, e as danças de recepção são coreografados com música pré-selecionada. E, enquanto há tradições dessa época de cavalheirismo que continuam, outras não. Ainda assim, o casamento que conhecemos hoje não seria uma instituição sem suas raízes medievais.

Outras pessoas estão lendo

História

Entre a queda de Roma e a ascensão da família Tudor na Inglaterra, havia a era do guerreiros em armaduras brilhantes, donzelas em perigo, lendas Arthurianas e cavalheirismo. Essa também foi a época de casamentos que mais pareciam com os dias nupciais da modernidade do que qualquer coisa que existiu anteriormente. Por exemplo, na Roma Antiga, era costumeiro para o noivo e aos convidados a partir um pedaço de pão sobre a cabeça da noiva como simbolo dos seus desejos para fertilidade futura. Perdurando até a idade média, os costumes transformaram em convidados trazendo pequenos bolos para a cerimônia como tributo aos recém-casados. A partir desses mini-bolos empilhados, o bolo moderno de casamento elaborado e diferenciado evoluiu.

Equívocos

Apesar dos retratos modernos sobre a vida medieval, o banho realmente era considerado uma necessidade, especialmente antes de um casamento. Até aproximadamente os anos 1200, os banheiros públicos nas casas eram uma característica comum nas metrópoles medievais. Entretanto, o desmatamento tornou-se abundante no século seguinte, e foi ai que o banho se tornou uma noção de luxuria destinada apenas para o rico. Desprovidos de água limpa, perfumes tornaram fundamentais no dia, com os aromas de jasmim e água de rosas serem um dos perfumes mais cobiçados.

Significado

Foi o domínio da igreja que alterou a natureza do casamento, transformando-o em uma cerimonia sacramentada vigiada pela instituição religiosa. Na assembleia de Westminster em 1076 foi decidido que todas as noivas deveriam ser entregues com a aprovação do clero. Sem isso, o casamento podia não ser reconhecido. Para casamentos nobres, a cerimonia dentro do castelo ao invés da igreja era considerado legitimo, desde que como o padre ou bispo reinante desse a sua aprovação.

Características

Os casamentos, mesmo se não fossem da nobreza, eram a causa de celebrações. Se era um casamento que unisse duas pessoas do sangue real, não há duvidas de que a cerimonia seguiria por uma procissão de menestréis, senescais e malabaristas. Os torneios apresentariam os mais bravos e nobres cavaleiros coroariam o evento.

Considerações

Naquela época, era o banquete que atraia as pessoas para os casamentos. Tipicamente, um banquete de casamento incluía assados de codornas e pavão, queijo, tortas, pudins e quentão. Para frutas e vegetais, uma grande quantidade de maçãs estavam disponíveis, assim como cenouras e repolhos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível