Tosse em crianças

Escrito por amanda delgado | Traduzido por kelly isayama
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tosse em crianças
Evite dar medicamentos para tosse a bebês com menos de dois anos de idade (Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Os bebês tossem por uma variedade de motivos, incluindo aqueles inofensivos. Um deles pode ser a salivação excessiva durante o desenvolvimento dos dentes, enquanto outras crianças apenas tossem para chamar a atenção dos pais. Contudo, a tosse geralmente indica um problema de saúde que requer algum tipo de tratamento. Evite a administração de medicamentos para a tosse em bebês com menos de dois anos, já que isso pode causar vários efeitos colaterais, de acordo com o FDA (Food and Drug Administration).

Outras pessoas estão lendo

Infecções virais

Se a tosse estiver acompanhada de espirros, olhos lacrimejantes, coriza e estado febril, o bebê pode ter um resfriado. Se a tosse piorar e a respiração se tornar prejudicada, ele pode ter uma infecção pelo vírus sincicial respiratório. Ligue para o pediatra assim que essa suspeita ocorrer, já que esse vírus pode levar a doenças mais sérias como a pneumonia e a bronquiolite. Uma tosse carregada e profunda, que piora durante a noite, indica que se trata de difteria, que geralmente é leve e pode ser tratada em casa com fluidos e ar umidificado.

Infecções bacterianas

Se a criança apresentar ataques de tosse que duram de 20 a 30 segundos seguidos de dificuldade respiratória, pode ser um caso de coqueluche. Outros sintomas incluem diarreia, coriza, estado febril, perda de apetite e olhos vermelhos e lacrimejantes. O tratamento envolve o uso de antibióticos para amenizar os sintomas. Os bebês com menos de um ano possuem um risco maior de apresentar complicações devido a essa doença, que incluem convulsões, pneumonia, danos cerebrais e morte. Tosse e nariz escorrendo também podem indicar sinusite. Os antibióticos podem ser usados para ajudar a descongestionar os seios da face do neném.

Asma, alergias e irritantes

Se o bebê possuir uma tosse insistente que piora à noite, ele pode ter asma. Outros sintomas incluem pieira, congestão no peito e dificuldade em respirar. O tratamento geralmente envolve medicamentos que previnem ou param os ataques de asma. Se o bebê parecer ter uma tosse crônica e coriza, ele pode ter alergias. Os alérgenos comuns incluem alimentos, ácaros, pelos de animais, pólen e mofo. O pediatra pode ajudar a determinar o que desencadeia as reações alérgicas e sugerir meios de se preveni-las. Os Irritantes ambientais, como ar poluído ou fumaça de cigarro, podem causar as tosses. A eliminação do irritante, quando possível, deve interrompê-las.

Aspiração

Uma tosse que dura por mais de uma semana, sem apresentar nenhum outro sinal de doença, pode indicar que o bebê engoliu algo ou inalou um pequeno objeto. Se algum item aparecer em um raio-x de pulmão, ele deve ser removido cirurgicamente. Em alguns casos, o objeto pode levar a uma infecção pulmonar (ou pneumonia), que deverá ser tratada com antibióticos.

Fibrose cística

Se o bebê tiver uma tosse persistente acompanhada de muco grosso amarelo ou esverdeado, ele pode ter fibrose cística. Outros sinais dessa doença genética, que podem causar sérios problemas respiratórios e digestivos, incluem constipação, ganho inadequado de peso, crescimento diminuído, pele com gosto salgado e falha em expelir o mecônio após o nascimento. O tratamento geralmente inclui medicamentos, consultas frequentes ao médico e suplementos nutricionais. O pediatra mostrará como suavizar o muco nos pulmões do bebê diariamente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível