Tratamento para epilepsia focal simples em cães

Escrito por carrie terry | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamento para epilepsia focal simples em cães
Boxers são particularmente propensos a sofrer epilepsia (dog - boxer image by Vasiliy Koval from Fotolia.com)

A epilepsia é um problema bem comum em cães. De acordo com a Rede de Epilepsia Canina, é um distúrbio genético, mas que também pode ser causado por toxinas ambientais e tumores cerebrais. A epilepsia, de todos os tipos, têm um plano de tratamento consistente e íntegro.

Outras pessoas estão lendo

Os fatos

A epilepsia se origina no cérebro do cão, quando os neurônios começam a falhar e sinalizar movimentos incorretos e exagerados no corpo do animal. Ela é um tipo específico de distúrbio que afeta apenas uma parte específica do órgão, de acordo com a Rede de Epilepsia Canina; convulsões focais são apenas convulsões parciais e raramente fazem com que o animal perca a consciência.

Estágios de uma convulsão

Todas as convulsões avançam da mesma forma. Elas começam com uma "aura", quando o cão exibe os sintomas de uma convulsão focal se aproximando. Esses sintomas podem incluir inquietação, nervosismo e coceira, e podem durar horas. A fase "ictus" é quando a convulsão de fato ocorre. Na epilepsia focal, ela pode ser localizada por espasmos na face do animal. Na fase "pós-ictal", o cão continua a vagar até se recuperar da crise.

Tratamento com medicamentos

O tratamento mais comum para convulsões focais é feito com medicamentos. Anticonvulsivos são usados para restringir os movimentos do cão durante uma crise, assim diminuindo a habilidade do animal em machucar a si mesmo ou em quem estiver por perto. Cães epilépticos são colocados em programas regulares de medicação anticonvulsiva, que são mantidos pelo resto da vida deles.

Tratamentos cirúrgicos

Se a epilepsia for causada por um tumor cerebral, é possível tentar "curá-la" ao remover cirurgicamente a massa tumoral. Esse tratamento depende muito do local em que ele se encontra e o perigo à vida do cão durante uma operação como essa. Em muitos casos, a epilepsia com controle apropriado é menos perigosa ao animal que uma cirurgia cerebral.

Tratamento com controle

Os donos aprendem a controlar as convulsões em cães epiléticos, mesmo que elas sejam relativamente leves. Aprendem a reconhecer os sinais da crise próxima, confortar o animal o máximo possível e controlá-lo tanto durante a convulsão quanto depois dela. Como as focais são geralmente leves, o controle do estado mental do cão é mais importante que a restrição física durante a convulsão; elas são perturbadoras para eles e exigem um dono estável e solidário.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível