Animais em desertos frios

••• Kira Kaplinski/iStock/Getty Images

Nem todos os desertos incluem areia, cactos e sol quente. Na verdade, existem vários desertos frios no mundo que têm invernos frios rigorosos, com neve e chuva. Antártida, Alasca e Groenlândia são alguns exemplos de áreas compostas de desertos frios. Esse desertos geralmente têm muito pouca vida vegetal ou sombras. Apesar destas condições muito duras, é lá que vários animais frequentemente vivem.

Raposa-do-ártico

Jupiterimages/liquidlibrary/Getty Images

A raposa-do-ártico pode ser encontrada em uma variedade de desertos frios, como no Alasca, Rússia e Canadá. Esses animais são bem adequados para o deserto frio, pois são oportunistas e não têm medo de limpar as carcaças das vítimas de ursos polares, quando necessário. Sua dieta é composta principalmente de carne, por isso a falta de vegetação em desertos frios não lhe afeta. Elas são animais de toca, e se escondem em cavernas subterrâneas para se aquecer das condições externas. Além disso, elas têm uma espessa camada de pelo no corpo, incluindo as áreas em torno das partes mais sensíveis, como as patas e orelhas, para ajudar a manter sua temperatura corporal. A sua linda coloração branca e camada de pelos quente fazem dessa raposa uma vítima do mundo da moda, sendo usada na fabricação de casacos de pele.

Lagópode-branco

Bob Balestri/iStock/Getty Images

O lagópode-branco, uma ave para caça e alimentação, é encontrado em desertos frios como os do Canadá, Islândia e Groenlândia. Eles se alimentam principalmente de folhas, galhos e flores, embora os jovens também se alimentem de insetos quando estão disponíveis. As fêmeas geralmente procuram as poucas áreas com moitas nos desertos para fazer seus ninhos, enquanto os machos permanecem em aberto. Para se manterem aquecidas, essas aves mudam suas penas várias vezes por ano para manter sua plumagem fresca e eficaz na captura do seu calor corporal.

Pinguim-imperador

Bernard Breton/iStock/Getty Images

Os pinguins-imperadores são animais que não voam e que vivem no gelo antártico, pescando nas águas circundantes. Esses pinguins empregar técnicas de agrupamento para escapar de ventos fortes e para preservar seu calor corporal. Eles trabalham em grupo, e os pinguins mais aquecidos dão caminho para que os mais frios entrem no meio do amontoado. A caça e proteção dos ovos também são realizadas em grupos bastante unidos, para que nenhum pinguim fique sem uma fonte externa de calor a todos os momentos.

Urso polar

Pengranger/iStock/Getty Images

Os ursos polares são encontrados nas calotas polares do Ártico. Eles se mantêm aquecidos nesse vasto deserto frio com sua espessa camada de pele bem isolada e uma densa camada de gordura corporal. Na verdade, a pele desses ursos é preta, ajudando-lhes a absorver o calor do sol debaixo de seus pelos brancos. Esses animais são oportunistas, perseguindo focas e comendo a carne de baleias mortas, se puderem. Eles cavam tocas profundas em montes de neve para se aquecer e criar seus filhotes.

Elefante-marinho-do-sul

Fuse/Fuse/Getty Images

Os elefantes-marinhos-do-sul vivem nas águas e praias da Antártida, bem como na Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e ilhas da região subantárctica. Eles são os maiores de todas as espécies de focas, muitas vezes pesando até 4,5 toneladas. Esses animais armazenam uma enorme quantidade de gordura isolante. Eles também viajam, caçam e dormem em grupos para que possam usar um ao outro como proteção contra temperaturas frias. Eles principalmente se alimentam de animais marinhos, como lulas, para que não tenham que viajar muito longe para encontrar fontes de alimento.

Mais recentes

×