Bananas mantém os mosquitos afastados?

Escrito por jack busch Google | Traduzido por vitcho ferroni
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Bananas mantém os mosquitos afastados?
Mosquito (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Durante o surto em volta do vírus West Nile que teve seu pico no início dos anos 2000, muitas pessoas se voltaram para remédios caseiros para repelir os mosquitos. Eles são responsáveis por transmitir o vírus West Nile e muitos acreditavam que a chave para afastar temível doença estava em manter os mosquitos e suas mordidas bem longe. Um remédio caseiro que surgiu foi a crença de que as bananas mantinham os mosquitos distantes.

Outras pessoas estão lendo

Importância

Os cientistas têm uma teoria de que o vírus West Nile pode ter causado a morte de Alexandre o Grande, baseado em relatos de mortes de aves meses antes da sua doença e eventual morte. Pesquisas mostram que o vírus passou a existir cerca de mil atrás na África. A partir daí, ele se dividiu em duas linhagens: linhagem 1, que se espalhou pelo continente e se tornou uma epidemia mundial, e linhagem 2, que permaneceu na África. O primeiro aparecimento do vírus West Nile nos Estados Unidos foi em 1999, quando a encefalite apareceu nos humanos, cachorros, gatos e cavalos. Em 2001, a mídia começou a focar na doença e relatar sua disseminação pelo mundo, que levantou fundos para a pesquisa do vírus. Apesar do pânico que se espalhou ao redor do mundo na época, os efeitos do vírus West Nile não eram tão severos, menos de 4% dos 3.630 casos registrados foram fatais.

Tipos

Durante o pânico causado pela ameaça do vírus West Nile, muitas pessoas voltaram-se para remédios caseiros ou misturas para ajudar a repelir os mosquitos. Estes remédios incluíam (mas não estão limitados a estes): toalhinhas amaciadora de roupas, VapoRub, tagetes, óleos de banho, extrato de baunilha, e é claro, bananas. Embora muitas evidências anedóticas tenham confirmado o "sucesso" desses remédios, infelizmente muitas dessas tentativas eram ineficientes e serviam apenas para acalmar os ânimos do público ao invés das picadas dos mosquitos.

História

Sobre a origem do mito específico das bananas como repelente, parece que essa especulação foi amplamente difundida pelos e-mails encaminhados em massa. Curiosamente, muitos desses e-mails, na verdade, indicavam que comer bananas atraía os mosquitos em vez de repeli-los. Um e-mail predominante levantou a hipótese, vagamente, de que havia "algo sobre o óleo de banana enquanto o seu corpo o processa", narrado pelo célebre site de desmascaramento Snopes.com. O mito presumia que tirar as bananas da sua dieta iria efetivamente tirar os mosquitos da sua vida. Porém, evidências conclusivas que apoiem essa teoria ainda não surgiram.

Equívocos

Crenças sobre o óleo de banana, álcool e outras substâncias domésticas e seus efeitos em mosquitos são muito duvidosas, ou melhor, não comprovadas. Na realidade, estudos mostram que mosquitos são atraídos pelo dióxido de carbono, octenol, e ácido láctico (nenhum que possa ser prevenido), e até mesmo coisas mais inevitáveis como o movimento, calor, sons, umidade e o calor do corpo.

Avisos

Por mais fácil que as soluções possam parecer, não se deixe levar por esses remédios caseiros. Eles foram testados e não são eficazes. A única medida preventiva eficaz que uma pessoa pode tomar contra os mosquitos são os sprays (especificamente os que possuem um químico chamado DEET) que são fabricados apenas para esse propósito.

Prevenção/Solução

O repelente de mosquitos mais eficaz é chamado DEET, e foi desenvolvido para o exército dos EUA em 1946. Muitos outros produtos foram desenvolvidos desde que o DEET foi liberado para o público em 1957, mas nenhum foi comprovado como sendo tão eficaz. Um repelente chamado OFF! Deep Woods (que contém uma quantidade considerável de DEET) tem mostrado ser bem eficaz também.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível