Cães e intoxicação alimentar ao comer carne de porco crua

Escrito por stevie donald | Traduzido por fellipe jardim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Cães e intoxicação alimentar ao comer carne de porco crua
Todas as carnes cruas contêm patógenos (pork chops image by robert lerich from Fotolia.com)

Cães são notoriamente indiscriminados sobre o que comem, basta a oportunidade. Com o crescimento das dietas de carne crua para cães, mais pessoas estão dando aos cães carne crua todos os dias, muitas vezes incluindo carne de porco. Este pode ser um tema controverso -- qualquer coisa que um cão come tem o potencial de dano e a carne de porco crua, especialmente se for de um animal selvagem ou criado em casa, pode causar intoxicação alimentar.

Outras pessoas estão lendo

Considerações

Dietas cruas ou "BARF" (Bones and Raw Food em inglês) para cães se tornaram cada vez mais comuns, com muitos distribuidores regionais e algumas grandes empresas de alimentos para animais vendendo carne crua, incluindo carne de porco, em lojas de animais de estimação. Os distribuidores menores adquirem a carne de pequenos produtores ou aumentam sua própria produção, para transformá-la em ração para animais. Muitas pessoas também compram a carne para os cães de açougues e supermercados.

Triquinose

Seu cão tem mais chances de ser infectado por triquinose comendo carne de porco crua de um animal criado em casa ou de porcos selvagens do que aquela comprada em uma loja. O Centers for Disease Control adverte que a triquinose associada ao hábito de comer carne de porco crua é agora um pouco rara, mas ainda é uma preocupação com a caça selvagem ou porcos criados em casa que são alimentados com uma dieta composta de lixo e carne crua.

Características e identificação

Cães têm sintomas de intoxicação alimentar semelhantes às pessoas e eles são bastante fáceis de detectar: diarreia, vômitos, letargia e desidratação são sinais comuns de intoxicação alimentar. O envenenamento por triquinose também podem incluir dificuldade de respirar, perda de controle motor e batimento cardíaco irregular. A intoxicação alimentar é geralmente identificada através da análise de uma amostra de fezes sob um microscópio; quando o cão for ao veterinário, leve uma amostra de fezes frescas, se possível. A triquinose é diagnosticada por meio de um exame de sangue ou biópsia muscular.

Prevenção/solução

Se não tiver certeza sobre a origem da carne de porco crua, cozinhe-a bem, conforme faria para membros da sua família. Se faz a comida do animal com carne de porco crua, use carne fresca de alta qualidade e sirva imediatamente, em vez de guardá-la e deixar que as bactérias de desenvolvam. Se não estiver disposto a deixar o cão comer qualquer carne crua, jogue todos os resíduos de alimentos em uma lata de lixo, com uma tampa hermeticamente fechada.

Conselho especialista

Todos os alimentos e petiscos que o cão come podem estar contaminados com bactérias, fungos ou substâncias estranhas, como melamina. A associação americana de alimentos Food and Drug Administration listou 976 "recalls" de rações para animais domésticos entre 1 de janeiro de 2006 e 7 de abril de 2010 e nenhum era um produto de carne crua. A carne de porco crua e outros produtos de carne crua também podem estar contaminados e causar intoxicação alimentar, embora possa eliminar o risco de que o cão fique doente cozinhando a carne primeiro. Aqueles que preferem alimentá-los com uma dieta caseira fresca sem muito risco, muitas vezes, optam por cozinhar a carne crua para as refeições do cão.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível