Como cães reagem a viagens aéreas?

Escrito por jennifer hench | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como cães reagem a viagens aéreas?
Viagens de avião podem impactar seu cão tanto física quanto emocionalmente (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

As viagens são realizadas para fins de mudança, férias ou mesmo para visitar alguém. Para algumas pessoas, viajar com seus animais de estimação faz parte da aventura e é uma responsabilidade que vem junto com o fato de ser dono do animal. Se você vai levar seu cão em uma viagem aérea, é aconselhável saber os possíveis impactos que o vôo pode ter sobre seu animal. Saber o que pode acontecer é uma forma de te ajudar a decidir se seu cão lhe acompanhará em sua próxima viagem ou não.

Outras pessoas estão lendo

Confinamento

Os cães são confinados em uma pequena área quando viajam de avião, o que pode ser um desafio para raças mais ativas ou de maior porte. Se o animal for viajar na cabine do avião, deverá permanecer no mesmo lugar durante todo o voo. Caso o cão voe no compartimento de carga, ficará preso em um canil. O desafio extra para cães que viajam dessa forma é o fato de serem colocados no canil bem antes da decolagem, onde permanecerão até após o desembarque, quando serão devolvidos ao seu dono ou responsável.

Calor

Cães que viajam no compartimento de carga do avião serão submetidos a temperaturas mais altas que as da cabine do avião, pois não há ar condicionado ali. Isso requer um planejamento cuidadoso no caso de cães que possuam sensibilidade ao calor. Optar por voos de manhã cedo ou tarde da noite pode ajudar a garantir que o compartimento de carga estará mais fresco do que estaria no meio do dia, quando as temperaturas são mais altas. Você também deve levar em consideração o inverso, ou seja, o frio durante o inverno. Essa questão climática pode afetar cães com artrite, doença na qual temperaturas extremas causam dores físicas. Outras questões que afetam caninos são as mudanças de altitude e pressão. As variações na pressurização podem ser um problema para cachorros com problemas nas articulações ou nos ouvidos, da mesma forma que as mudanças na pressão atmosférica afetam o conforto de humanos em viagens aéreas.

Ansiedade pela separação

Cães podem sofrer de ansiedade pela separação ao viajar de avião, especialmente se a separação ocorre logo no processo de check-in. Geralmente, o cão é entregue aos funcionários da companhia aérea em uma caixa transportadora no momento do check in, que pode acontecer até uma ou duas horas antes da partida do voo. Some esse período ao tempo de voo e veja que o cão ficará afastado de seu dono por um longo período de tempo. Cachorros que ficam desconfortáveis em lugares entranhos podem ficar assustados e chorar por atenção durante esse processo. Você pode ajudar a minimizar esse problema se certificando de estar disponível quando seu cão for devolvido no destino final.

Efeitos da sedação

Sedar um cão para um longo voo é uma prática realizada com o uso de remédios que ajudam a conter e acalmar o animal. O veterinário deve participar do processo receitando os sedativos corretos, com base no tamanho e no peso do cão. As drogas ajudam o cachorro a descansar com maior facilidade durante o voo, porém seu efeito prolongado pode fazer com que seu animal de estimação esteja sonolento e letárgico quando você o buscar, ao fim da viagem. Isso também pode ocorrer com cães que voam na cabine e tenham tomado sedativos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível