Cegueira epiléptica felina

Escrito por andrea krochalis | Traduzido por luigi bahia
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Cegueira epiléptica felina
A visão dos gatos pode ser afetada por ataques epilépticos (cats eyes image by Brian Tomlinson from Fotolia.com)

Cegueira epiléptica felina é uma referência à cegueira temporária que alguns gatos apresentam no estado pós-crise. Esse período de recuperação é chamado de "pós-ictal". Os animais sofrem dois tipos de crises: a "generalizada", o tipo mais comum, que afeta todo o corpo. A variação "focal" afeta apenas uma única parte do animal: os olhos.

Outras pessoas estão lendo

Sintomas

Os sintomas de convulsões em felinos incluem perda de consciência, uma mudança de comportamento tal como agressividade incomum e repentina, salivação excessiva e movimento alterado ou tremores. Gatos podem sofrer um ataque violento, debatendo-se e rolando. Alguns gatos têm apenas um único ataque, enquanto outros podem desenvolver um transtorno convulsivo. Ele é diagnosticado com uma convulsão epiléptica quando uma convulsão dura mais de 30 minutos ou se o animal tem mais de três convulsões em um dia.

Estágios

A convulsão é o movimento involuntário ou espasmo dos músculos voluntários. Convulsões felinas têm três estágios. A primeira etapa é a "aura", quando um gato mostra mudanças de comportamento. A segunda, a "ictal", consiste na própria convulsão. A maioria dos gatos vai defecar e urinar durante uma convulsão. A terceira é o "pós-ictal", ou o período de recuperação. Cegueira temporária, letargia e movimento anormal ocorrem na terceira fase. O gato estará, literalmente, desorientado.

Cuidados durante um ataque epiléptico

Donos de animais ficam, muitas vezes, traumatizados ao presenciarem uma convulsão. A melhor abordagem é fazer com que a área em torno dele esteja livre de quaisquer objetos que possam causar danos ao animal em movimento, como objetos pontiagudos ou pesados​​. Não tente chegar perto da boca do gato, que pode inadvertidamente mordê-lo. Note todos os detalhes que vão ajudá-lo a descrever o incidente a seu veterinário. Se possível, registre a duração do ataque, quantos ataques ocorreram, os tipos de movimentos anormais e qualquer incidência de vômitos ou diarreia. Busque ajuda veterinária o mais rápido possível.

Tratamento

O tratamento imediato das crises pode diminuir a intensidade da medicação necessária para evitar novas convulsões. Pode haver uma causa externa por trás das convulsões, como envenenamento, ferimentos ou traumatismo craniano. Muitas vezes, a causa de convulsões não é facilmente identificável. Um veterinário costuma sugerir medicação anticonvulsivante nesse caso. Monitore seu gato e relate as crises que ocorrerem, ficando atento a padrões ou regularidades nas crises. Esse procedimento influenciará no futuro dos tratamentos e no progresso do diagnóstico da condição de seu gato.

Avisos

É perigoso parar a medicação anticonvulsivante abruptamente. As convulsões podem ser a manifestação de uma doença subjacente e, por isso, devem ser relatadas e avaliadas por um veterinário. Seu gato pode ir até você antes de uma convulsão ou pode evitá-lo. O tempo de recuperação pode ser tão duro para um dono quanto a própria convulsão. Lembre-se de que as mazelas desse problema são passageiras e seja forte.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível