Como curar o glioblastoma multiforme

Escrito por janice shock | Traduzido por debora joi
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como curar o glioblastoma multiforme
O glioblastoma multiforme (GBM) é um tumor de crescimento rápido que se desenvolve no cérebro (Creatas/Creatas/Getty Images)

O glioblastoma multiforme (GBM) é um tumor de crescimento rápido que se desenvolve no cérebro e, ocasionalmente, no tronco cerebral. "Glio" refere-se às células da glia, que atuam como tecido conjuntivo dentro do cérebro. O GBM é o tipo mais comum de tumor cerebral e é responsável por cerca de 50 a 60 por cento dos casos de tumores cerebrais. Ele também é considerado o mais agressivo e mortal, de acordo com a "American Brain Tumor Association" ("Associação Americana de tumor cerebral" em inglês). Os GBMs ocorrem principalmente em adultos com mais de 50 anos de idade.

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

    Maximize sua taxa de sobrevivência

  1. 1

    Ouça seu corpo e preste atenção nas mudanças. Os sintomas comuns da GBM incluem dores de cabeça, alterações visuais, perda de memória repentina, convulsões, náuseas, alterações na personalidade e paralisia de um lado do corpo. Como acontece com a maioria das condições médicas, o diagnóstico e o tratamento precoces, muitas vezes, levam a melhores resultados.

  2. 2

    Ao primeiro sinal de mudanças em sua condição normal, contate seu médico. É comum que as pessoas procurem o conselho do médico da família em primeiro lugar, que provavelmente irá pedir uma varredura do cérebro (tomografia computadorizada ou ressonância magnética). Se for detectada uma lesão ou anomalia, provavelmente você será encaminhado para um neurocirurgião para remover o tumor e realizar biópsia para confirmar a malignidade. Uma vez que o tumor é confirmado como um GBM, vários especialistas serão consultados para ajudar no tratamento. Neurologistas cuidam do bem-estar geral do cérebro durante as várias fases de tratamento, neuro-oncologistas fazem a quimioterapia e oncologistas radioterapeutas fazem o tratamento com radiação. Devido à natureza agressiva desse tumor, os principais especialistas em câncer, as universidades e os centros de pesquisa em câncer recomendam cirurgia, quimioterapia e radioterapia para o tratamento. Métodos alternativos de tratamento são raramente discutidos, embora terapias com drogas experimentais possam estar disponíveis em casos mais graves.

  3. 3

    Seja uma voz ativa em seus cuidados médicos. Não tenha medo de fazer perguntas, procurar uma segunda opinião e estar envolvido em seu próprio cuidado. Informe-se sobre seus médicos. Eles possuem certificações? Quantos anos de experiência eles têm? Qual a taxa de sobrevivência de seus pacientes? Qual o plano de tratamento que eles recomendam? Eles estão envolvidos ou eles podem recomendar um grupo de apoio ao GBM em sua área?

  4. 4

    Nunca subestime o poder de uma perspectiva positiva. Mantenha a mente aberta aos planos de tratamento e lembre que a fé e a esperança são fundamentais para seu sucesso.

Dicas & Advertências

  • De acordo com "UCLA Neuro-Oncology for GBM", a taxa de sobrevida média de pacientes recentemente diagnosticados com GBM que começam tratamento ativo com cirurgia, quimioterapia e radiação depende muito da idade do doente no momento do diagnóstico. Pacientes diagnosticados com idades entre 20 e 35 anos têm uma taxa de 2,6 anos de sobrevida média. Pacientes diagnosticados entre 35 e 50 anos têm uma taxa de sobrevivência média de 1,9 anos. Pacientes diagnosticados entre 50 e 70 anos de idade têm uma taxa média de sobrevida de 1,2 anos e os pacientes diagnosticados entre as idades de 70 e 100 anos têm uma taxa de sobrevivência média de um ano.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível