Degeneração endotelial com edema de córnea em cães

Escrito por cate burnette | Traduzido por adonis queiroz
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Também chamada de distrofia da córnea, a degeneração endotelial é um distúrbio óptico hereditário em cães, que surge como uma córnea nublada e inchada. Ela não costuma ser dolorosa para o cão, mas é uma doença relativamente rara e que muitas vezes pode ser atribuída a condições sistêmicas, tais como a doença de hipotiroidismo, de Cushing ou desordens envolvendo o metabolismo do colesterol.

Outras pessoas estão lendo

Causas

A distrofia da córnea em cães envolve um mau funcionamento do endotélio (a camada mais interna) da córnea quando as lesões de colesterol são depositadas entre ela e a estrutura do olho. Os depósitos de colesterol podem causar um endurecimento, ou distrofia da córnea, assim como fazem em artérias coronárias. O mecanismo de bombeamento que move o líquido seroso em torno do olho degenera prematuramente e a córnea se torna opaca, com a aparência de vidro embaçado.

Sintomas da doença

A degeneração endotelial resulta no acúmulo de líquido (edema) na córnea. Isso provoca uma mudança de coloração, de transparente para uma cor leitosa opaca, geralmente a partir de um canto e, eventualmente, espalhando-se para o olho inteiro. Conforme a córnea incha, torna-se mais propensa a sofrer ulcerações, inflamações e lesões. Se ela inflamar, o cão pode começar a apertar os olhos e a lacrimejar por causa da dor.

Teste de diagnóstico

Um exame completo do olho é geralmente recomendado pelo veterinário para descartar todas as outras causas de edema de córnea. O diagnóstico de distrofia do endotélio é relativamente raro, então outras doenças, tais como o glaucoma, uveíte e trauma, devem ser descartadas como fatores causais. Uma vez que outras doenças tenham sido eliminadas, a raça e idade do cão são utilizadas para tipificar a doença.

Tratamento

Esta doença canina é progressiva e irreversível. Não há nenhuma maneira eficaz para fazer o olho voltar ao normal, e o tratamento é geralmente administrado para retardar a progressão da degeneração e para tratar os sintomas. Veterinários podem recomendar uma pomada hipertônica (super concentrada) de cloreto ou solução de sódio para evitar o edema da córnea e manter a camada de superfície do olho saudável. Este medicamento deverá ser usado durante todo o resto da vida do cão. Antibióticos podem ser indicados em caso de desenvolvimento de úlcera e inflamações.

Considerações

A degeneração endotelial é uma doença hereditária e bilateral (ambos os lados) em cães. Apesar de ser encontrada em todas as raças, é mais comumente observada em chihuahuas, boston terriers e bassês e geralmente é diagnosticada em cães jovens, com idade entre três e seis anos.

Aviso

Embora essa doença óptica geralmente não seja dolorosa, condições resultantes, tais como úlceras da córnea e abrasões podem ser, e precisam ser consideradas emergências veterinárias caso ocorram. A degeneração endotelial raramente resulta em cegueira total, mas alguns cães podem desenvolver um pequeno ponto cego ao redor das lesões do colesterol.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível