Dieta para deficiência de progesterona

Escrito por april wilson | Traduzido por ana claudia bragé
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dieta para deficiência de progesterona
A alimentação está relacionada ao funcionamento do sistema hormonal (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

A deficiência de progesterona é um problema cada vez mais diagnosticado em mulheres de todas as idades em países industrializados. Trata-se de uma condição na qual há alta quantidade de estrogênio sem a quantidade suficiente de progesterona em oposição. Em países industrializados, as mulheres são expostas a xenoestrogênios, químicos e outras substâncias ambientais que não são estrogênio, mas agem como se fossem, levando ao desequilíbrio hormonal. Isso ocorre com frequência em quem tem uma dieta inadequada.

Outras pessoas estão lendo

Suplementação de progesterona

Muitas mulheres escolhem tratar o desequilíbrio da progesterona com progesterona natural em creme, acreditando que estão fazendo uma escolha mais adequada do que ao usar progesterona sintética existente, por exemplo, em anticoncepcionais. Embora seja verdade, lidar com o desequilíbrio de progesterona apenas com suplementação é com frequência ineficiente.

Altos níveis de estresse, afetados pela dieta, podem causar má absorção de progesterona. De acordo com Dr. Ray Peat, que pesquisa sobre o assunto desde a década de 1970, se uma mulher não sentir os efeitos da progesterona (sintomas melhorados) com doses de 100 mg, isso indica que o problema pode estar relacionado à tireoide ou deve ser corrigido com a alimentação.

Alimentação

Peat afirma que "com alimentação rica em proteína (pelo menos 70 a 100 g por dia, incluindo ovos) e vitamina A (não caroteno), eu descobri que a dose de progesterona pode ser reduzida mensalmente".

Já que a progesterona pode se acumular no organismo com o tempo, é relevante focar em uma alimentação saudável e em redução de estresse para ajudar o corpo e permitir que você diminua a quantidade necessária de progesterona.

Evite muito açúcar refinado em sua alimentação e amido. Ingerir uma dieta rica em proteína proporciona uma alimentação baixa em glicose, mas é importante que se comam grãos, frutas e vegetais, juntamente com uma quantidade moderada de derivados do leite. Ingerir muita proteína e depois lanches não saudáveis é contraprodutivo à cura do desequilíbrio hormonal. Também limite a ingestão de sódio e evite cafeína e álcool.

Mulheres com deficiência de progesterona sentem TPM ou transtorno disfórico pré-menstrual e anseiam por carboidratos. Enquanto é possível ter deficiência de progesterona sem sentir TPM, esse é um dos primeiros sintomas da condição. Ao comer alimentos ricos em carboidratos, prefira os ricos em carboidratos complexos, pois os simples não saciam o desejo.

De acordo com Marcy Holmes, médica especializada em menopausa, "além disso, seus hormônios e metabolismo são interdependentes. Uma dieta rica em carboidratos simples e açúcares pode influenciar na sensibilidade à insulina, levando à resistência à insulina e ao aumento do peso. Células de gordura produzem estrogênio, então quanto mais você tiver, maiores serão os níveis de estrogênio, que podem levar ao desequilíbrio hormonal e TPM exacerbada".

Além de uma alimentação balanceada, tome multivitamínicos de qualidade com multiminerais, vitamina D, magnésio e cálcio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível