Doenças causadas pela não castração de animais domésticos

Escrito por christina riopelle | Traduzido por ana olson
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Doenças causadas pela não castração de animais domésticos
Castre seu animal para evitar ninhadas indesejadas e protegê-lo contra doenças (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

Veterinários rotineiramente castram cães, gatos e coelhos para evitar ninhadas indesejadas. No entanto, existem muitos benefícios decorrentes da cirurgia. Há uma série de doenças que afligem animais não castrados, sejam elas diretamente causadas pela presença de hormônios e órgãos reprodutivos, ou indiretamente, por meio de um comportamento influenciado. O desejo de vagar ou lutar com outro por território e por parceiros pode fazer com que o animal contraia doenças pela mordida ou arranhão de animais de rua.

Outras pessoas estão lendo

Câncer de mama

Cadelas e gatas são suscetíveis ao câncer de mama. O câncer atinge as glândulas mamárias, e é fatal para metade das cadelas e para 9 entre 10 gatas que desenvolvem a doença. A cirurgia de castração reduz drasticamente o risco de câncer mamário, já que os ovários, que produzem estrogênio, são removidos. Cistos também podem se desenvolver quando uma fêmea não foi castrada. Embora benignos, cistos podem causar irritação ou inflamação das vias mamárias, causando problemas de saúde adicionais.

Doenças uterinas

Entre 50% e 80% das espécies de coelhos desenvolvem adenocarcinoma uterino, uma forma de câncer de útero, depois dos quatro anos de idade. A piometra, uma doença incômoda que enche o útero com pus, pode se desenvolver em uma cadela, gata ou coelha não castrada. A castração elimina a possibilidade de desenvolver ambas as doenças.

Doenças glandulares

Gatos machos não castrados desenvolvem hiperplasia da glândula da cauda. Embora não seja fatal, a secreção gordurosa é difícil de limpar e pode se transformar em um agente irritante. Seu animal pode desenvolver irritações na boca e língua ao tentar aliviar a pressão e secreção usando a lambida. Quando secreções glandulares sofrem impacto, podem ocorrer infecções da glândula anal. Essa doença não aparece em gatos castrados.

Câncer de testículo

A cirurgia de castração remove os testículos de um cão, gato ou coelho. O câncer de testículo e de próstata pode afligir cães não castrados. O risco reduzido em cães castrados não é devido à ausência de tecido, mas devido à eliminação dos hormônios que promovem o surgimento destas doenças.

Doenças transmissíveis

Fêmeas no cio muitas vezes vagam em busca de um companheiro. A tendência que animais machos têm de tentar escapar pela mesma razão ocorre durante todo o ano. Um animal de estimação que vagueia em áreas desconhecidas tem maior chance de contrair uma doença de animais errantes e selvagens. Uma vez que os machos não castrados podem ser agressivos com outros de sua espécie quando as fêmeas estão presentes, o risco de contrair doenças transmitidas por mordidas e arranhões aumenta. Exemplos de tais doenças incluem a leucemia felina, gripe, cinomose e raiva. Um coelho pode ser mais facilmente confinado dentro de casa, mas pode se machucar tentando acessar um coelho em um outro cômodo.

Complicações da gravidez

A gravidez é arriscada para muitos animais de estimação, especialmente para as raças de tamanho diminuto, ou quando os filhotes herdaram seu tamanho de um pai substancialmente maior. Cadelas podem morrer quando o parto não é supervisionado e se o canal do parto for muito pequeno, ou podem precisar ser submetidas a uma cesárea de risco que pode comprometer outros órgãos ou causar uma infecção interna. Ao castrar seu animal de estimação, o risco da gravidez e de suas complicações é eliminado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível