Mais
×

Doenças provenientes de banheiras de hidromassagem

Atualizado em 20 julho, 2017

O uso da banheira de hidromassagem é geralmente considerado seguro quando o spa é limpo e mantido de acordo com as orientações do fabricante. No entanto, se a água não for trocada regularmente e o cloro e os níveis de pH não são cuidadosamente monitorizados, uma banheira de hidromassagem pode se tornar um terreno fértil para doenças infecciosas. As bolhas criadas pelos jatos ajudam na proliferação de germes para os pulmões por meio de uma névoa.

As banheiras de hidromassagem devem ser frequentemente limpas (Photo by Nina Hale, Creative Commons Generic Attribution 2.5 License)

Dermatite

A doença mais frequentemente ligada ao uso da banheira de água quente é a dermatite, uma infecção de pele causada pela bactéria Pseudomonas aeruginosa. Essa bactéria também pode causar problemas nos ouvidos, olhos e infecções do trato urinário.

Herpes Genital

O vírus herpes simplex pode viver por algumas horas em assentos de ofurô de plástico que não estão em constante contato com água clorada. Como resultado, o herpes genital pode ser transmitido através do uso de uma banheira de hidromassagem.

Doença dos legionários

Com sintomas semelhantes aos da gripe - febre, calafrios, tosse, dores musculares, dor de cabeça e dificuldade respiratória - a infecção pela bactéria Legionellosis pode causar a doença dos legionários, que por sua vez leva à pneumonia. Na sua forma mais grave, denominada febre de Pontiac, a infecção tem praticamente os mesmos sintomas, mas não resulta em pneumonia.

Micobacteriose não-tuberculosa

Esta infecção bacteriana pode causar dificuldade respiratória grave, especialmente em crianças pequenas, idosos e pessoas com sistemas imunológicos comprometidos.

Criptosporidíase

Cryptosporidium é um parasita que pode ser encontrado nas fezes de humanos e animais. A infecção deste parasita pode resultar em diarreia severa, náuseas, vômitos e desidratação.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article