Estudos sobre a importância do jantar em família

Escrito por mary brehm | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Estudos sobre a importância do jantar em família
Estudos mostram que comer juntos como uma família é benéfico para as crianças (Flying Colours Ltd/Photodisc/Getty Images)

Estudos iniciais sugeriram que as refeições familiares comuns podem ter efeitos positivos sobre as crianças e adolescentes. Embora ainda haja muito trabalho a ser feito nessa área, muitos estudos já relataram que esse hábito de jantar em família corresponde a uma menor frequência de abuso de substâncias, melhor nutrição e melhores notas entre as crianças.

Outras pessoas estão lendo

Estudos do CASA

Uma das principais instituições de pesquisa na área de jantares em família é o Centro Nacional de Dependência e Abuso de Substâncias (sigla CASA, em inglês) da Universidade de Columbia, nos EUA. A série de estudos, chamada "A Importância dos Jantares em Família I-VI" em tradução livre, examinou a correlação entre o consumo de refeições em família e o abuso de drogas em crianças e adolescentes. Os pesquisadores descobriram que os adolescentes que raramente comem com suas famílias têm duas vezes mais probabilidade de ter usado tabaco, quase duas vezes mais probabilidade de ter ingerido álcool e uma vez e meia mais chances de ter usado maconha do que os adolescentes que jantam frequentemente com suas famílias.

Estudos publicados pela Associação Dietética Americana

A Associação Dietética Americana publicou vários estudos sobre o impacto que as refeições em família têm sobre a saúde mental, física e emocional dos adolescentes. Um exemplo de estudo, financiado pela Secretaria de Saúde Materna e Infantil dos EUA em 2002, indica que as crianças que comem frequentemente com suas famílias têm maior consumo de proteína, cálcio, ferro, fibras e muitas vitaminas do que as crianças que raramente comem com os pais. Um estudo semelhante realizado em 2007 pela mesma equipe de pesquisa descobriu que as crianças que comem regularmente com suas famílias comem mais frutas e legumes. Ambos os estudos sugerem que as crianças que são supervisionadas pelos pais nas refeições bebem menos refrigerante do que as que não são.

Estudos publicados da Associação Médica Americana

A Associação Médica Americana (AMA) publicou vários estudos independentes nesta área. Um dos estudos mais conclusivos, publicado em agosto de 2004, constatou que as meninas que comiam uma refeição em família diariamente tinham metade das chances de cometer suicídio, quando comparadas com as que não têm esse hábito. Além disso, a AMA tem recomendado as refeições em família como medida de prevenção para a obesidade infantil.

Relatório do Conselho de Assessores Econômicos

Um estudo global do comportamento adolescente publicado em 2000 pelo Conselho de Assessores Econômicos dos EUA sugeriu que um método eficaz de envolvimento dos pais na vida dos adolescentes é a refeição em família. Esse estudo descobriu que as crianças que comem com os pais pelo menos cinco vezes por semana, geralmente têm melhores notas e são mais propensos a ir para a faculdade do que os que comem com os pais com menos frequência. O estudo também descobriu que as crianças que comem frequentemente com suas famílias são menos propensas a considerar o suicídio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível