A história de Santa Sofia

Escrito por maureen katemopoulos | Traduzido por mariana dsp
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história de Santa Sofia
O fato de muitas igrejas se chamarem "Santa Sofia" não necessariamente tem a ver com a santa (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

Santa Sofia é o nome da santa que viveu na época do Império Romano. Também é o nome de diversas igrejas do mundo, mas que não são necessariamente dedicadas à Sofia. Acredita-se que o motivo pelo qual existam tantas igrejas com esse nome seja devido à tradução da palavra latina "sancta", que significa "sagrada". Do alemão, "sankta" significa "santa". Em grego, "haghia" ("sagrada" ou "santa") e "Sophia" ("sabedoria", ou o nome feminino) aparecem "Haghia Sophia" para denotar o significado de "Santa Sofia", que é "sabedoria sagrada".

Outras pessoas estão lendo

Viúva

Diz-se que a Santa Sofia viveu durante o segundo século, em Roma, durante o império de Adriano (de 117 a 138 d.C.). De família italiana, ela teve três filhas, chamadas Pistis, Elpis e Agape. Aparentemente, ela ficou viúva logo após o nascimento da terceira filha.

Professora

Sofia conhecidamente educou suas filhas no espírito do Cristianismo, ensinando a elas o valor da piedade e da oração. Os nomes de suas filhas significam fé (Pistis), esperança (Elphis) e amor (Agape). O Cristianismo era proibido pelas leis do Império Romano, logo, foi uma questão de tempo até que o governador, Antíoco, denunciasse Sofia e suas filhas ao imperador.

Cristãs convictas

Sofia e suas filhas, de 12, 10 e 9 anos de idade, foram convocadas a comparecer perante Adriano. Sua primeira providência foi colocá-las aos cuidados de uma moça chamada Palladia, cujo papel era oferecer-lhes todos os prazer e luxúrias da vida mundana em uma tentativa de mudar suas convicções. Para frustração de Adriano, não deu certo.

Mãe e mártir

Sem conseguir converter as meninas à sua forma de pensar, Adriano mandou que as torturassem das formas mais cruéis possíveis e, por fim, fossem decapitadas. Tudo isso foi assistido por Sofia, que continuou orando. Coube a ela a tarefa de remover os corpos das filhas para levá-los ao lugar do descanso final, em uma colina além dos limites da cidade. Diz-se que ela ficou ao lado dos jazigos, enlutada e rezando, até que também morreu, três dias depois, de causas naturais e devido ao coração partido.

Constantinopla/Catedral de Istambul

O imperador bizantino Justino (483 a 565) deixou um legado de construções, que incluíam "Haghia Sofia", ou "Igreja da Sabedoria Sagrada", uma catedral maravilhosa, com mosaicos e mármore, na Constantinopla (desde 1930, a Constantinopla é chamada de Istambul, Turquia). A catedral Haghia Sofia da Constantinopla foi construída entre 532 e 537, e também é chamada de "Santa Sofia". Ela é considerada um dos mais belos exemplos da arquitetura bizantina e, hoje, é um museu.

Catedral de Washington D.C.

Em Washington D.C., a inscrição acima da entrada da catedral diz "Catedral Ortodoxa Grega de Santa Sofia, a Sabedoria Sagrada de Deus". A paróquia foi estabelecida pela comunidade Grega em 1904 e a primeira igreja, em 1924. O primeiro serviço da Catedral foi em 1955. Ela fica entre a rua 36 e a avenida Massachusetts.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível