Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII

Escrito por keely brown | Traduzido por marina pastore
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Chaleiras antigas eram muitas vezes feitas de cobre, que conduz o calor rapidamente (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

As chaleiras têm sido uma peça necessária para as cozinhas desde que o chá foi introduzido à aristocracia francesa pela primeira vez em Paris, em 1636. As chaleiras eram usadas não apenas para ferver água, mas, em algumas casas, também para de fato preparar o chá, já que circulava uma crença de que alguns metais – como o ferro fundido – ajudavam a melhorar o sabor. Quer aquecidas sobre uma lareira aberta, quer mantidas mornas na mesa por um fogareiro, as chaleiras do século XVIII eram feitas de diversos materiais que podiam aguentar as altas temperaturas de uma chama direta. Dependendo das circunstâncias financeiras e da posição da família, esses materiais podiam incluir prata de lei ou, como no caso de muitas famílias pioneiras nas colônias norte-americanas, ferro fundido ou cobre.

Outras pessoas estão lendo

Marcações

Embora chaleiras mais antigas feitas por artesãos – como ourives – geralmente fossem marcadas, as chaleiras feitas de materiais mais humildes, como ferro fundido, em geral não eram marcadas, de maneira que os colecionadores modernos frequentemente precisam confiar em seu conhecimento dos formatos e estilos ao tentar determinar um fabricante. Se a chaleira de fato estiver assinada, você pode tipicamente encontrar as marcas do fabricante na parte da baixo da chaleira, e, nas mais chiques, também na parte de baixo da alça ou no aparato do fogareiro.

Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Chaleiras de ferro fundido eram populares entre os colonos norte-americanos (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

Fabricantes famosos

Algumas das chaleiras mais preciosas da América do século XVIII são aquelas feitas pela ourivesaria de Revere, fundada por Paul Revere pai e herdada por seu filho, o Paul Revere famoso por sua viagem noturna de Boston a Lexington em 1775 para avisar aos patriotas de que as tropas britânicas estavam avançando. Pai e filho eram artesãos habilidosos e seus projetos elegantes eram muitas vezes enfeitados com espirais, guirlandas e florões ou castos em sua simplicidade, seguindo linhas puras e sem adornos. Esses projetos, trabalhados em prata ou estanho, ajudaram a criar o padrão para os futuros ourives americanos. As chaleiras e acessórios de chá Revere originais têm "REVERE" estampado na parte de baixo. Raramente encontradas, essas peças são extremamente valiosas para colecionadores atualmente.

Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Essa imagem do ourives Paul Revere celebra sua famosa viagem patriótica (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Outros fabricantes e marcas

Desde o século XIV, ourives britânicos usaram um sistema de marcas para identificar a cidade de origem, o fabricante, a data e o conteúdo de prata de qualquer peça de prata. De 1784 a 1890, essas marcas também incluíam uma cabeça do soberano, que indicava o pagamento dos impostos. Antes de 1831, o símbolo britânico para a prata de lei era o "leão passante guardante" – um leão andando para a esquerda, mas com a face virada para a frente. Depois de 1831, a face do leão passou a estar de perfil. Alguns dos famosos ourives residentes em Londres incluíam Paul de Lamerie – possivelmente o mais aclamado de sua geração devido à beleza de suas criações –, Robert Abercrombie, Brent Moses e Matthew Boulton.

Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Objetos em prata do século XVIII eram às vezes simples, às vezes altamente ornamentais (Medioimages/Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Serviços de avaliação

Documentação autêntica, como uma carta contendo o histórico da família, pode determinar a data de uma chaleira e ajudar a identificar as marcas de seu fabricante. Se possível, descubra a história – conhecida por colecionadores e comerciantes como a "proveniência" – da chaleira e, se tiver qualquer documentação, faça cópias. As chaleiras feitas de materiais mais caros, como estanho e cobre, às vezes são marcadas, enquanto aquelas feitas de materiais típicos de artesãos, como prata, são geralmente marcadas pela ourivesaria onde eram feitas. Você pode pesquisar uma chaleira com a ajuda dos muitos livros de referência e websites disponíveis, e comerciantes de antiguidades e curadores de museus geralmente ficam felizes em ajudar colecionadores a identificarem suas peças.

Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Documentação e histórico familiar podem ajudar a determinar datas (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Limpeza

Ao identificar marcas, você deve estar ciente de que não é aconselhável limpar uma chaleira antiga sem ajuda profissional. O tipo errado de limpeza pode destruir a pátina da chaleira e reduzir seu valor estético e até mesmo monetário consideravelmente. Aquela chaleira manchada e escurecida poderia ser uma peça assinada da ourivesaria de Paul Revere do fim do século XVIII, então, deixe qualquer tipo de restauração ou limpeza apenas para profissionais com experiência.

Marcações em chaleiras primitivas do século XVIII
Chaleiras de prata devem ser limpadas profissionalmente para preservar sua pátina (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível