Megacólon Agangliônico Equino

Escrito por julia lai | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Megacólon  Agangliônico Equino
Um cavalo com pequena coloração de "overo" (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O megacólon agangliônico, ou "síndrome letal do potro branco", é uma rara desordem genética em equinos, que ocorre quando um cavalo nasce com duas cópias de um gene recessivo. Essa característica recessiva hereditária impede a formação de nervos na porção do intestino grosso, geralmente referida como cólon, levando à obstrução intestinal letal.

Outras pessoas estão lendo

Origem

O gene recessivo que leva ao megacólon agangliônico equino controla a codificação do receptor da endotelina 3, um peptídeo transmembrana. Um receptor de endotelina 3 é um peptídio com 21 aminoácidos que forma uma proteína chamada Endotelina 3. A endotelina 3 ajuda a formar as células da crista neural e os melanócitos nos embriões. As células da crista neural formam nervos em todo o corpo, incluindo o trato gastrointestinal, enquanto os melanócitos produzem a melanina, que é um pigmento responsável pela cor do cabelo, olhos e pele. Quando o receptor sofre mutação, ele cria estrias de pele em equinos que não têm pigmentação. Esta falta de pigmentação é referida como um padrão "overo". Quando se acasalam dois cavalos com um padrão "overo", com cópias do gene do receptor de endotelina-3 que sofreu mutação hereditária, eles aumentam drasticamente suas chances de produzir um potro branco sem terminações nervosas suficientes em seu cólon.

Apresentação

Um potro branco não possui pigmentação em sua pele ou pelagem. Os potros brancos afetados por essa doença podem parecer normais ao nascimento, mas em poucas horas começarão a mostrar sintomas de cólicas. Os potros brancos saudáveis com possível problema na produção de fezes podem ser auxiliados com um enema. Os potros com megacólon agangliônico equino não responderão ao enema.

Raças Afetadas

A raça americana Paint Horse é afetada com mais frequência pela doença, embora algumas outras raças equinas sejam acometidas, entre elas, a Quarter Horse e aThoroughbred. Infelizmente, a cor da pelagem de um determinado cavalo não é um método confiável para previsão da incidência do gene. A cópia única do gene é encontrada em 94% dos cavalos Frame overo, White calico overo e Frame blend. O nome Frame overo vem da chamada "formação de uma moldura" (do inglês, frame), onde há falta de pigmentação, pela cor pigmentada circundante da pelagem do cavalo. A reprodução de cavalos sólidos, de Sabino e Overo com mínima mistura representa a menor incidência do gene. Os reprodutores sólidos têm pelagem de cor quase monocromática, com ocasionais pontos brancos, cinzas ou pretos. Os cavalos Sabinos, embora exibam manchas brancas ou, às vezes, a pelagem seja inteiramente branca, devem sua coloração a um gene distinto conhecido como gene Sabino 1. Os cavalos Overos com mínima mistura exibem uma coloração de pelagem com pontos brancos irregulares. A única maneira de determinar se um cavalo possui uma cópia do gene é realizando o teste genético.

Tratamento

Infelizmente, não existe um tratamento conhecido para a doença. Os potros afetados terão morte dolorosa em poucos dias se ficarem sem tratamento. Muitos veterinários preferem fazer a eutanásia dos potros, depois de determinado um diagnóstico preciso.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível