A preparação do corpo humano para funerárias

Escrito por andy pasquesi | Traduzido por mirella veloso
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A preparação do corpo humano para funerárias
O processo de preparação do corpo humano em funerárias (PhotoObjects.net/PhotoObjects.net/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Reportar

Quando o corpo chega na funerária, o primeiro dever do agente funerário é criar um relatório detalhado, catalogando os objetos pessoais (joias e roupas, por exemplo), a condição física do corpo (arranhões, cortes, machucados, etc) e os produtos químicos específicos para embalsamá-lo que irão ser utilizados durante o processo. Depois, todas as roupas, joias e parafernálias médicas (como cateteres, acessos venais e curativos) são removidos.

Desinfetando

Independentemente das circunstâncias da morte, o corpo inteiro (incluindo todos os maiores orifícios) é borrifado com um desinfetante poderoso. Quando a pele secar, o agente funerário começa a massagear e soltar os músculos do pescoço, braços e pernas, que estão duros devido ao rigor cadavérico.

Depois se retiram todos os pelos faciais, da garganta e pescoço (exceto as sobrancelhas, cílios e escalpo) com uma lâmina de barbear. Para os homens, isso requer um barbear completo da área da barba (a menos que o morto tivesse pelos faciais estilizados durante a sua vida), bem como a remoção de todos os pelos das narinas, orelhas e penugem de pêssego da parte superior da face. Para mulheres, retiram-se os pelos de todo o rosto e pescoço para remover a penugem de pêssego, já que os pelos curtos podem interferir com a aplicação da maquiagem posteriormente.

Ajustando a face

No processo natural de decomposição, o tecido membranoso mais macio da face seca, ocasionando no afundamento dos olhos na cavidade ocular, e os lábios e bochechas se contraem. Para evitar isso, o agente funerário coloca um cone plástico em formato semiesférico com uma superfície em forma de grade em cada olho, atrás das pálpebras. Um potente creme captador de umidade é colocado entre o plástico e dentro da pálpebra para manter a pele de fora hidratada e com aspecto macio. Para manter os olhos fechados, um pequeno traçado com gel adesivo é cuidadosamente aplicado na borda das pálpebras.

Para manter a boca fechada, uma sutura (com fio de alta gradação cirúrgica) é trançado através da base das gengivas (cruzando a mordida) com uma agulha grossa e curva ou uma ferramenta especial. A agulha então atravessa o osso exatamente acima do canino superior (o maxilar), para dentro da cavidade nasal. Após fazer mais alguns pontos de sutura, a agulha perfura o fundo da cavidade nasal em um ponto diferente para entrar na boca pelo lado oposto através de um novo furo no maxilar. Finalmente, a sutura é trespassada através da base das gengivas nesse novo lado, e os dois fins do fio são amarrados para evitar que a boca se abra.

Dependendo da idade e condição do morto, o agente funerário pode também aplicar cremes na parte interna dos lábios e até mesmo inserir um volume extra com selante na base das gengivas frontais.

Embalsamamento arterial

O agente funerário cria um acesso de injeção em uma das maiores artérias e vagarosamente injeta uma solução aquosa de formaldeído ou outra substância química, dependendo de outros fatores fisiológicos, dentro do corpo, criando uma pressão sanguínea. Em intervalos, ele poderá drenar o sangue do coração ou veia jugular através de uma seringa acoplada a uma válvula. Quando esse processo se completar, mais ou menos 7,5 litros de fluido para embalsamar estarão dentro do sistema vascular.

Embalsamando as cavidades

Basicamente uma agulha de largo calibre acoplada a uma via de vácuo com tubo plástico, o trocar é usado para drenar gases malcheirosos e/ou potenciais fluidos com riscos biológicos dos órgãos internos do morto (estômago, bexiga, intestinos, pulmões). O agente funerário abre a cavidade abdominal, drena cada um desses órgãos, remove todos os órgãos internos e os deixa mergulhados em uma solução forte de embalsamar durante algumas horas.

Enquanto isso, as paredes internas da cavidade são revestidas com um gel de embalsamar ou pó. Como última medida, tanto o ânus ou vagina são preenchidos com algodão e o corpo é ajeitado com apertadas roupas de baixo feitas para selar os gases dentro do corpo.

Quando os órgãos já estiverem prontos, eles são colocados em um grosso e hermeticamente selado saco plástico que é inserido na cavidade abdominal antes de costurá-la de volta.

Cosméticos

O agente funerário lava e seca o corpo e cabelos cuidadosamente. O cabelo do morto é então penteado profissionalmente (e cortado, se preciso). Após limpar quaisquer fragmentos de cabelo, o agente funerário veste o cadáver em um conjunto escolhido pela família.

Nesse ponto, ele começa a corrigir quaisquer tecidos visíveis com uma combinação de maquiagem e massa especial de vidraceiro para preencher pequenas abrasões e amaciar a textura de feridas. Aplicados ao rosto, pescoço e mãos, os cosméticos usados pelos agentes funerários podem variar de produtos translúcidos até mais opacos e pesados, feitos especificamente para mascarar a descoloração da pele. Por exemplo, no caso de ataques cardíacos ou sufocamento, a falta de oxigênio no sangue na hora da morte pode resultar em pele azulada.

Quando o processo de maquiagem estiver completo, o corpo é então colocado dentro do caixão, onde braços e pescoço são arranjados de forma a parecerem vivos. O processo de preparação está completo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível