Mais
×

Quais tipos de comida comprar depois de retirar os sisos?

Atualizada November 21, 2016

Os dentes do siso, ou terceiros molares, não são nada sábios. Eles são um conjunto desnecessário de dentes molares, que aparecem em algum momento entre os 17 e 25 anos. Esta faixa etária conferiu aos dentes do siso o nome de "dente do juízo", pois esta etapa é considerada o momento da vida em que os jovens estão buscando sabedoria e conhecimento, provavelmente por meio da educação superior. Dentistas comuns só extraem esses dentes se for uma tarefa simples. A maioria, no entanto, encaminha os pacientes para um cirurgião-dentista, pois os dentes do siso são sua especialidade. Rotina ou não, os dentes extraídos requerem uma atenção especial durante a cicatrização, o que inclui limitar o que o paciente come.

Os dentes do siso podem ser tudo, menos "sábios". Uma dieta especial é necessária após a extração (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

Dentes do siso ou terceiros molares

Os dentes do siso têm mais dificuldade para emergir, pois uma grande porcentagem da população não tem o espaço para acomodá-los. Em muitos casos, eles ficam presos, pois não há espaço para saírem. No entanto, eles ainda tentam. Uma parte do dente pode consegui atravessar a pele, porém ele não será capaz de ir mais longe. O dente parcialmente irrompido fica com comida presa ao seu redor e sob a pele. Isso resulta em uma infecção desagradável chamada pericoronite. Os dentistas podem ver alguns dentes do siso que nunca conseguirão nascer através de um raio-X. Estes estão presos.

Extração simples dos dentes do siso

A remoção de dentes do siso é um trabalho para o cirurgião-dentista. Ele tem toda uma ciência só para esses dentes. Para este dentista, essa é uma rotina simples que remove os dentes que não estão presos usando instrumentos chamados elevadores e fórceps. Esses instrumentos são usados nas extrações simples, onde o paciente tem um dente irrompido que o cirurgião-dentista alcança facilmente, que não está infectado e que deve sair sem dificuldade. O formato dos dentes tem também um efeito sobre a facilidade de extração. Molares superiores possuem raízes em forma de cone e que estão todas juntas, enquanto os molares inferiores têm várias raízes espalhadas. Normalmente, existem três ou quatro raízes. Elas podem quebrar na cavidade, fazendo com que o cirurgião tenha que ir mais longe para recuperá-las. Deixar as raízes na cavidade pode provocar uma infecção posterior.

Extração cirúrgica dos dentes do siso

Quando os dentes estão presos sob a gengiva e osso, o cirurgião-dentista irá removê-los cirurgicamente. Isso significa que o paciente receberá anestesia intravenosa. A anestesia não fará com que ele durma. Ela apenas o deixará relaxado o suficiente para não se lembrar do procedimento, mas poderá responder a comandos simples do cirurgião. Na extração cirúrgica do siso, o tecido da gengiva é aberto, seguido pela utilização de uma broca para ter acesso ao dente através do osso. Muitas vezes, o cirurgião coloca um cortador cirúrgico na broca para partir o dente siso, removendo uma metade de cada vez. O tecido é fechado com suturas ou pontos; no entanto, as cavidades permanecem abertas até os osteoblastos, ou células ósseas, criarem um novo osso e preencherem as cavidades até que se tornem imperceptíveis.

O que comer após a extração

Independentemente da maneira com a qual o siso foi removido, o dentista precisa proteger as cavidades que ficaram. Elas desenvolvem um coágulo que protege as terminações nervosas sensíveis de onde o dente estava. Perder esse coágulo é extremamente doloroso, e causa uma condição chamada "alveolite". Esta condição fará com que a dor sentida pelo paciente antes da extração pareça leve. Para proteger a cavidade, os pacientes podem comer apenas alimentos macios. Por exemplo, sorvete, gelatina, sopa, ovos mexidos, milkshakes, purê de batatas, queijo cottage, mingau, creme de trigo e grãos ou macarrão. O paciente não deve utilizar canudos nas primeiras 24 horas, e não deve cuspir vigorosamente. Ele deve evitar álcool, cafeína e bebidas gasosas. O álcool afina o sangue, fazendo com que as cavidades sangrem mais. O paciente deve abster-se de comer batatas fritas, arroz, alimentos picantes ou ácidos, bem como alimentos que exijam muita mastigação. A dieta deve ser modificada durante pelo menos a primeira semana após a extração. Outros alimentos podem ser introduzidos após a consulta para a remoção da sutura, normalmente prevista para uma semana após a cirurgia.

bibliography-icon icon for annotation tool Cite this Article