A relação entre as taxas cardíacas e as taxas respiratórias

Escrito por tina hunt | Traduzido por maria renata c. m. siqueira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A relação entre as taxas cardíacas e as taxas respiratórias
Durante o exercício, a taxa cardíaca e respiratória aumenta para suprir a demanda (running image by Byron Moore from Fotolia.com)

Quando você se exercita, passa por diversas mudanças fisiológicas ou mudanças que acontecem internamente ou externamente. Ele começa a transpirar, o coração bate mais rápido e a respiração fica mais forte. Todas as mudanças que acontecem estão conectadas, e sabendo como e por que estão conectadas não só faz entender melhor o processo dos exercícios, como permite que se tenha uma melhor experiência ao se exercitar.

Outras pessoas estão lendo

Taxa cardíaca

A taxa cardíaca de ou pulso é o número de vezes que o coração bate por minuto. Dependendo da idade e do nível de condicionamento, o pulso de um adulto varia de 60 a 100 batimentos por minuto. O coração bomba sangue pelo corpo inteiro a cada batida e é por isso que a taxa cardíaca é um bom indicador dos níveis de condicionamento ou da força do coração. Quanto mais baixa a taxa cardíaca, mais forte é o coração, pois pode bombar mais sangue a cada batida.

Taxa respiratória

A taxa em que se respira também é conhecida como ventilação, em média de 12 respirações por minuto, em repouso. A cada vez que se inspira, oxigênio é entregue ao sangue e transportado aos músculos que estão trabalhando, onde é necessário como energia de metabolismo. Quando expira-se, solta-se os resíduos do metabolismo energético, o dióxido de carbono.

Efeitos no exercício

Durante o exercício, tanto a taxa cardíaca como a respiratória aumentam, causada pela demanda por oxigênio dos músculos que estão trabalhados. O coração começa a bater mais rápido para distribuir oxigênio mais rapidamente e começa-se a respirar mais forte, para suprir a demanda por oxigênio.

Recuperação

Quando para-se de se exercitar, o corpo começa a se recuperar, mas se pode notar que a taxa cardíaca e até a taxa respiratória ainda podem estar elevadas de duas a cinco horas depois do término dos exercícios. Isso acontece porque o corpo entra em um estado de falta de oxigênio depois do exercício e porque ainda existem subprodutos metabólicos no corpo, como o ácido lático e o dióxido de carbono. Esses subprodutos devem ser liberados antes de o corpo retornar ao estado de repouso ou ao nível homeostático. O coração continua batendo rápido para manter esse processo e para retomar os níveis homeostáticos do corpo. O tempo que o corpo administra essas taxas elevadas depende da intensidade dos exercícios.

Adaptando

Quando adota-se um plano de exercícios regulares, notará mudanças de longo prazo acontecendo. A taxa cardíaca de repouso diminuirá, a taxa respiratória pode não se modificar, já que o volume dos pulmões não altera, mas o coração será mais eficiente na distribuição de sangue e para entregar oxigênio em cada respiração. Exercitar-se em certas intensidades será mais fácil e a taxa cardíaca será menor do que antes, nessas intensidades, já que o coração estará mais forte.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível