Como testar um amplificador com carga fantasma

Escrito por michael black | Traduzido por thay lemoned
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como testar um amplificador com carga fantasma
Uma carga fantasma permitirá que você teste a saída elétrica do seu amplificador (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Uma carga fantasma é um dispositivo usado para testar a saída elétrica de um sistema de amplificação. Um resistor que pode suportar a energia do amplificador que você pretende testar pode ser usado como um ingrediente básico para uma carga fantasma caseira. Qualquer tipo de saída de um sistema de amplificação pode ser testado com uma carga fantasma, desde um instrumento de amplificação até um amplificador estéreo de um carro. É necessário um conhecimento básico de eletrônica para testar uma carga fantasma de um amplificador.

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Fonte de energia para o amplificador em teste
  • Resistores de alta potência
  • Osciloscópio
  • Gerador de tom (gerador de ondas, CD ou instrumento musical)
  • Voltímetro digital

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Conecte o amplificador a uma fonte de energia. Ligue-o ao cabo de alimentação do amplificador, se houver algum anexado. Se não, ligue uma fonte de alimentação ao amplificador com fios de energia e ligue-os à fonte de energia.

  2. 2

    Conecte os resistores, que são as cargas fantasmas, nas saídas dos altos-falantes do amplificador. Você pode precisar conectar o resistor diretamente ao fio do alto-falante. Isso depende do tipo de amplificador em teste e o tipo de resistor/carga fantasma utilizado. Anexe uma carga-fantasma para a saída do canal do amplificador.

  3. 3

    Ponha os controles de ganhos no mesmo nível pra cada canal do amplificador. Ganhos no máximo ou no mínimo são os melhores níveis para começar.

  4. 4

    Anexe um gerador de tom, que pode ser qualquer coisa que você esteja usando para enviar um sinal para o amplificador. Abaixe o volume do gerador de tom até o mínimo.

  5. 5

    Ligue o amplificador. Minimize ao máximo qualquer controle de equalização. Nesse ponto, meça e grave a voltagem da fonte de energia com o seu voltímetro.

  6. 6

    Use um voltímetro digital para testar a voltagem de saída do amplificador enquanto você aumenta o volume do gerador de tom. Uma vez que o voltímetro chegue a aproximadamente 2 Volts, mude de canal se você estiver usando um amplificador de múltiplos canais e ajuste os controles de ganho até que todas as saídas dos canais sejam equivalentes a 2 Volts.

  7. 7

    Conecte o osciloscópio a qualquer um desses canais.

  8. 8

    Aumente a saída do gerador de tom enquanto você monitora o osciloscópio. Continue a aumentar o nível até que o máximo e o mínimo da onda senoidal se achatem. Abaixe devagar o nível até que a onda esteja limpa novamente.

  9. 9

    Cheque o voltímetro para ver se o nível da fonte de alimentação é o igual ao nível inicial. Se a fonte de alimentação de corrente direta não for consistente com a leitura inicial, a potência de saída do amplificador é menor do que a que ele é capaz de produzir.

  10. 10

    Anexe o voltímetro ao terminal de saída de um dos canais do amplificador. Aumente o volume do gerador de tom até que o amplificador comece a chiar. Registre a leitura de voltagem neste ponto.

  11. 11

    Desligue o amplificador e desconecte o resistor da carga fantasma rapidamente. Meça a exata resistência da carga-fantasma enquanto o resistor ainda está quente.

  12. 12

    Use a Lei de Ohm para determinar a potência de saída do seu amplificador. A Lei de Ohm diz que a potência de saída do seu amplificador é igual à leitura da voltagem no recorte do Passo 10 ao quadrado, dividida pela resistência à corrente direta do resistor quente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível