Tipos de comunicação terapêutica para pacientes psiquiátricos

Escrito por jacquelyn jeanty | Traduzido por carol matos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tipos de comunicação terapêutica para pacientes psiquiátricos
Os transtornos mentais podem variar em tipo e intensidade (Jupiterimages/Stockbyte/Getty Images)

Transtornos mentais podem variar em tipo e intensidade. As condições mais graves podem deixar um indivíduo incapaz de agir na vida cotidiana. Os pacientes psiquiátricos comumente exigem uma terapia a longo-prazo para resolver quaisquer problemas que os tenham levado até aquele ponto. As comunicações terapêuticas incentivam os pacientes a trabalhar as questões pendentes em sua vida.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

Indivíduos que sofrem de um transtorno mental, ou de vários transtornos mentais, podem ser internados em um hospital ou clínica para tratamento. Normalmente, alguém nesta condição é incapaz de cumprir as exigências do dia-a-dia. O estado psicológico pode abranger paranoia extrema, ou alucinações visuais ou auditivas, denotando que a compreensão da pessoa sobre a realidade é débil ou inexistente. A terapia para alguém nessas condições difere daquela que se realiza para indivíduos que não apresentam tais distúrbios. Para ser eficaz, a comunicação terapêutica deve atender a pessoa no estágio em que ela se encontra.

Função

Os tipos de transtornos mentais encontrados nos pacientes psiquiátricos podem englobar: ansiedade, disfunção cognitiva ou condições bipolares. Não é incomum que uma pessoa sofra com mais de um transtorno ao mesmo tempo. Para oferecer o tipo de tratamento terapêutico apropriado, os médicos avaliam o estado psicológico do paciente através de uma série de testes que fornecem informações acerca dos processos de pensamento e comportamento. As entrevistas são realizadas com o paciente, bem como com os seus familiares e amigos.

Terapia psicodinâmica

Na maioria dos casos, a terapia a longo-prazo é necessária para tratar os indivíduos que sofrem de problemas psiquiátricos crônicos. A terapia psicodinâmica ajuda os pacientes a ter uma visão de como seus padrões de pensamento afetam a sua qualidade de vida. As comunicações terapêuticas são focadas em como as experiências passadas do paciente afetam o seu comportamento atual. Essa forma de terapia tenta desvendar processos mentais inconscientes e motivações para que as questões não-resolvidas possam ser confrontadas, e ainda que seja possível aprender novas habilidades de enfrentamento.

Musicoterapia

Os pacientes psiquiátricos que sofrem de múltiplos transtornos podem ser resistentes às abordagens psicoterápicas tradicionais. A musicoterapia tenta motivar pacientes resistentes fazendo com que eles escutem ou toquem uma música. O uso da música destina-se a promover a comunicação e a expressão de sentimentos. Os efeitos da música ajudam os pacientes a entrar em contato com suas questões emocionais, que de outra forma, não seriam capazes de acessar. Tanto o paciente quanto o médico decidem sobre o tipo de música a ser utilizada nas sessões.

Terapia cognitiva comportamental

Como os transtornos mentais comumente resultam de certos padrões de pensamento, as comunicações terapêuticas usadas na terapia cognitiva comportamental concentram-se nos padrões de pensamento e comportamentos do paciente. Essa abordagem tenta descobrir os processos de pensamento automáticos que levam a emoções e comportamentos doentios. Os processos de pensamento automáticos são compostos por percepções e expectativas pré-formadas. Os indivíduos são incentivados a fazer conexões entre os seus padrões de pensamento e os estados emocionais. Uma vez que isso seja alcançado, o paciente pode aprender estratégias saudáveis de enfrentamento.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível