Mais
×

Tipos de sebes para um jardim

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

As sebes (cercas-vivas) tem uma variedade de funções no paisagismo. Elas definem o espaço dentro de um quintal ou jardim, proporcionam privacidade e escondem vistas indesejáveis. Também são usadas para suavizar elementos arquitetônicos, como cercas ou muros de contenção. Quando utilizadas em combinação com outras plantas, oferecem um cenário verdejante de flores de verão ou folhagem de outono.

Uma sebe pode prover um cenário de contraste para um elemento arquitetônico (garden decoration in front of yew hedge image by L. Shat from Fotolia.com)

Cercas-vivas

O termo cercas-vivas se refere a uma plantação densa de arbustos em conformidade com um esquema pré-determinado. Plantas utilizadas neste esquema devem suportar podas constantes e ter ramos ao nível do chão na maturidade. Folhas densas e pequenas também são bons atributos para ajudar na precisão do corte. O autor Robert Kourik recomenda uma poda mais estreita na parte superior que na inferior para garantir que a parte mais baixa também fique exposta ao sol.

Sebe não convencional

Esse tipo provê as mesmas funções paisagísticas da primeira, mas tem o crescimento menos controlado. São também conhecidas como cercas ou sebes naturais, sendo muito úteis para demarcar limites de propriedades sem parecerem austeras.

Sebe de fronteira

Esse tipo pode crescer de forma convencional ou não. O importante é que as plantas formem uma massa intransponível. Ela deve ser densa, podendo incluir espinhos, provendo um desafio a passagem. Sebes de fronteira também são conhecidas como barreiras.

Sebe da boa vizinhança

Algumas plantas fornecem as funções das sebes sem serem obstáculos a passagem. No livro "Guia para jardinagem de Nancy Brachey" a autora se refere a esse tipo como sebe amigável ou de boa vizinhança pois ela tem folhas macias, galhos dobráveis e nenhuma ponta afiada. Se a sebe pudesse falar seria um convite "Passe por aqui". Algumas plantas do estilo são a cicuta canadense ou oriental, a nandina, o buxo e o parney cotoneaster.

Sebe baixa

Uma sebe baixa provê um limite visual para propriedades ou simplesmente subdivide uma espaço maior em pequenos nichos. Elas permitem que mantenha um olho nos vizinhos além de não oferecerem cobertura para pretensos assaltantes. Brachey sugere o uso de abélia brilhante, buxo e azevinho japonês.

Barreira

Uma barreira é formadas por plantas altas e densas o suficiente para bloquear completamente a visão. Ela pode ser formada por uma sebe alta, por árvores muito próximas ou vinhas entrelaçadas. Plantas para este tipo de sebe incluem cereja carolina, anis, alguns tipos de ciprestes e nandina.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article